Feeds:
Posts
Comentários

Archive for janeiro \21\-03:00 2010

O BOM E O MAL!

Uma pequena colher de sal numa xícara de café.
Beba: é salgado!
Uma pequena colher de sal numa imensa e grande fonte de água cristalina.
Beba: que doce, que saudável!
Assim são as pessoas.
Umas se apegam no sal da pequena xícara, sentem o gosto salgado da vida.
Outras se apegam nas águas cristalinas da fonte, sentem o gosto doce da vida.
O gosto salgado da vida é para quem se apega nele, porque salgada é a pessoa.
O gosto saudável da vida é para quem se apega nele, porque doce é a pessoa.
O negativo e o positivo. O bem e o mal.
O positivo quer o bem de si mesmo, o negativo, o mal de si mesmo.
O positivo procura sempre encontrar o bem em tudo que lhe cerca e acontece, devido à sua natureza de bom.
O mal procura encontrar o mal em tudo, devido à sua natureza de mau.
O bom tem a sua natureza voltada para cima, sua visão é ampla, não se confina, é livre.
O mau tem a sua natureza voltada para baixo, sua visão é diminuta, confinada, é encarcerado pelo mal que alimenta em si mesmo.
O bom encara as mesquinharias da vida com indiferença, é superior ao sofrimento, à dor, à ignorância.
O mau encara as mesquinharias com relevância, é inferior em tudo, faz do sofrimento, da dor e da ignorância sua bandeira, seu guia.
O bom dá importância ao que tem importância, valor ao que tem valor.
O mau dá importância ao que importância não tem; valor, ao que valor nenhum tem.
Por isso, está aí a CULTURA RACIONAL, para todos aqueles que valorizam tudo que é de bom e de bem.
E o prato é sortido, tem bons e tem maus.
E revivem os bons e, não os maus.
O tempo é pouco para se conhecer e saber bem viver.
Desliguemo-nos das ocorrências trágicas da fase de liquidação, elas são para lapidação dos que não se importam com o que é de importância.
Voltemos nossos olhos para a fonte frondosa de águas cristalinas e, não, para o confinamento de porção de água salgada na pequenez de uma xícara.
Libertemo-nos do pensamento confinador! Chega de apego ao cárcere!
Abracemos o raciocínio!
Nos Livros UNIVERSO EM DESENCANTO!

Mais informações, tel. 0xx 31 2555-0054, dentre outros, e nos sites (dentre outros):
http://www.universoemdesencanto.com.br
http://www.imunizacaoracional.com.br
http://nalubnalub7.spaces.live.com
http://u-01.spaces.live.com
http://divulgacaoracioal-21.spaces.live.com
http://novopainelracional.blogspot.com
http://trueoriginworld.blogspot.com
http://br.youtube.com/nalub7

Read Full Post »

Read Full Post »

Read Full Post »

O Pensamento

O pensamento sempre foi contraditório.Todos sempre viveram nessa amargura das contradições.”Porque o pensamento foi feito para lapidar o pensador e, por isso,todos os pensadores vivem uns contra os outros, lapidando uns aos outros e o pensamento causam os atritos.
Os atritos causam os conflitos.
Os conflitos causam mortandade.
No Raciocínio é muito diferente.
No Raciocínio está a confraternização de todos, de paz , de amor, de fraternidade e de concórdia, pelo desenvolvimento do raciocínio.O raciocíno une toda a humanidade e o pensamento divide toda a humanidade.E tudo que divide está errado.E por isso,no pensamento está a discórdia, discordando uns dos outros sempre.Todos sempre em atritos e os atritos causando os conflitos e os conflitos,a mortandade, porque o pensamento foi feito para lapidar os pensadores. No raciocínio a confraternização Racional e no pensamento a desunião e a desordem.
( RACIONAL SUPERIOR )

Read Full Post »

 

Parecia para muitos, que nunca poderiam conhecer a Natureza, porque achavam que a Natureza era uma coisa misteriosa.
Pensavam que a Natureza nunca poderia revelar os seus mistérios.
Essas eram as cantigas dos que não se conheciam, porque ainda não tinha chegado a fase do esclarecimento de tudo, a Fase Racional, a fase final da Dona de tudo, a Natureza.
E por não ter chegado a fase da Verdadeira Luz, da lucidez Racional, viviam todos empobrecidos, pensando, por achar que a Natureza era contra quem desvendasse os seus mistérios.
E, hoje, na Fase Racional, estando à disposição de todos a elucidação dos mistérios, dos enigmas, dos fenômenos, dos finitos e dos transfinitos.
Todos que se dão o direito de se conhecer, estão vendo que, na classe passada do animal Racional, ninguém sabia o que dizia, porque ninguém se conhecia.
E de forma que cada qual floria aparentemente com o seu presépio, como podia.
Apresentando todos o que bem lhes parecia.
Ornamentando tudo para ter preferência na primazia.
Então, cada qual procurava ornamentar o seu pomposo presépio, da melhor maneira possível.
Por quê?
Porque ninguém se conhecia.
E, assim, tinham que surgir com as melhores aparências, para encher os olhos de todos que não se conheciam.
O privilégio da vida estava nos melhores ornamentos.
Tudo, por que era assim?
Porque ninguém se conhecia. E continua sendo assim para todos que não se conhecem Racionalmente.
E tinha (e ainda tem para os que não se conhecem) forçosamente de criar as suas estratégias da melhor forma possível, porque ningúem se conhecia.
E quem não se conhece, vai admitindo tudo que não conhece.
E por admitir o que não conhece (pois, quem não se conhece, muito menos conhece as demais coisas), fica à mercê das fracas experiências do pensamento, umas dando mais ou menos certo e outras não, razão porque o sofrimento no mundo é de longos séculos e veteranas eras.
Tudo isso por não se conhecer, mantendo-se como robô do pensamento, ignorando que o pensamento é um círculo fechado e limitado, um cárcere de sofrimento, para tirar a vaidade, a prepotência, a rudez, a ilusão, os sonhos e o embrutecimento do animal Racional.
Que jugo amargo! Que aprisiona o vivente num marcapasso da vida, sem possibilidade de sair desse passo de tortura, POR NÃO SE CONHECER e, consequentemente, não conhecer a VIDA, que é o RACIOCÍNIO!
E, assim, o pensamento não tem condições de atingir a eternidade, porque é uma máquina do chão, da matéria, para dar uma chuva de pau em todos que deixaram a eternidade, por livre e espontânea vontade, dando causa a este monstruoso universo material, onde a estabilidade não existe, por ser um mundo de transformações constantes.
Somente passando a nos conhecer Racionalmente, passamos a conhecer a Natureza e a compreender nossa verdadeira individualidade perdida, RACIONAL, que essa é que nos reconduzirá ao nosso verdadeiro estado natural de RACIONAL PURO, limpo e perfeito.
A Mãe Natureza cumpriu condignamente com sua missão. Nos preparou no 1º Milênio, através da imaginação. Nos preparou no 2º Milênio, através do pensamento. E, agora, julgando suficiente as surras milenares que nos deu, para o nosso próprio bem, trouxe agora a Fase Racional.
Mas, tem gente que se julga melhor que a Natureza. Que o julgamento dEla está errado e que devam de continuar levando chuva de pau dia e noite, noite e dia. E, assim, recusam se conhecer, negam a si mesmos o desenvolvimento do raciocínio.
A Mãe Natureza, respeitando o livre arbítrio de todos, não tem outra coisa a fazer a não ser colocar esses e essas na fase de liquidação, porque não existe mais a fase do pensamento.
E aí está a liquidação monstruosa, pouco a pouco, de todos que renegam a Cultura Natural da Mãe Natureza, a CULTURA RACIONAL: liquidação moral, física e financeira.
E os pensadores querendo encontrar solução no pensamento para essas monstruosidades naturais e artificiais (que estão ocorrendo universalmente) e não encontram soluções no pensamento, porque a sua fase terminou desde 1935, não existe mais!
A Fase Natural da Mãe Natureza é a Fase Racional, onde todos passam a se conhecer. Ou passa a se conhecer Racionalmente, ou se liquida de vez, por estar vivendo contra quem tudo nos dá de graça: a Mãe Natureza.
Portanto, é preciso se conhecer para poder BEM VIVER!
Se conhecer onde? Na cultura da Mãe Natureza.
E onde encontrar essa cultura?
Nos Livros de Cultura Racional Universo em Desencanto (tel. 0xx 31 2555-0054, dentre outros).

http://www.universoemdesencanto.com.br
http://www.imunizacaoracional.com.br
http://u-01.spaces.live.com
http://nalubnalub7.spaces.live.com
http://novopainelracional.blogspot.com
http://divulgacaoracional-21.spaces.live.com
http://trueoriginworld.blogspot.com

Read Full Post »