Feeds:
Posts
Comentários

Archive for março \17\-03:00 2011

Read Full Post »

 

É humanamente impossível para qualquer que tenha um pingo de sentimento, não refletir sobre o sofrimento pelo qual passa a população do Japão desde 11 de março, sexta feira passada.
Impressionante o poder da natureza, cuja força destrói cidades inteiras, modifica paisagens e tudo, de repente.
Temos vivido ultimamente sob o impacto de muitas ocorrências dramáticas de manifestações da natureza em sua nova fase.
Ela é a Dona da casa, dessa casa, a Terra, que a humanidade, como péssima hóspede, não tem sabido respeitar.
Aqui chegamos e encontramos tudo pronto para nos manter com fartura e abundância. Nada deveria faltar a ninguém.
Mas, a ambição e a ganância, somadas à vaidade de se julgar uns melhores do que outros, fez com que a humanidade desenvolvesse o materialismo desenfreado, arquitetando sistemas econômicos e financeiros sem o crivo do bom senso, que tem favorecido uns com tanto a ponto de botar fora, em detrimento de outros, em miséria absoluta.
A Natureza é de transformações. E nessas transformações tem o poder maior para, através delas, colocar tudo e todos em seus devidos lugares, porque não há efeito sem causa.
O ser humano peca por desconsiderar a natureza como um SER VIVO e soberano. De inteligência ímpar e de justiça implacável.
Perante nossa Mãe Natureza, quem é capaz de dizer que vale alguma coisa?
Portanto, é prudente ouvir a Mãe Natureza e respeitá-la em todas as suas manifestações, pois, todas elas têm um grande recado aos seres humanos.
A casa é dela, não é nossa, porque nós não somos daqui. E temos insistido em dizer isso aqui neste espaço. E sendo passageiros neste mundo, de vida provisória e passageira, por que montamos um sistema de vida com tantas complicações, com tantas sofisticações, sacrificando matas, rios, oceanos, a fauna e o ar?
A resposta é muito simples, foi a vaidade, a ganância e a ambição que fez com que o ser “humano” se sentisse dono da Natureza – que absurdo, dono da Natureza!
Aí houve a inversão de valores. A anfitriã passou a ser considerada serva, e os hóspedes avocaram para si todos os direitos sobre a morada, que nunca lhes pertenceu.
Mas, os abusados se esqueceram que nada são e que a natureza tudo é.
Se a humanidade tivesse se preocupado ao longo dos milhões de anos em que na Terra se hospeda, com a simplicidade, o amor verdadeiro por todos os elementos da natureza e sua preservação, a própria Natureza, que nos gera, cria, comanda e mantém, teria orientado todos para o desenvolvimento de um progresso natural, com ênfase ao amor ao próximo como a si mesmo e a valorização do SER, ao invés do TER.
Mas, a humanidade sempre foi rebelde, nunca esteve satisfeita com o que recebe. Achou muito pouco as matas com seu ar medicinal, com suas frutas riquíssimas e demais alimentos, não se sentiu feliz com a grandeza dos rios, cachoeiras e mares igualmente ricos de alimentos, não respeitou a fauna, não agradeceu ao sol, a lua, as estrelas, à terra que tudo sempre gerou com desprendimento.
O ser “humano” não aprendeu com o desprendimento da Natureza, sempre se imolando para nos alimentar e vestir.
Não se conformou com a vida singela do campo, onde bastava um pomar, uma horta, um fogão à lenha e a família unida, trabalhando para se manter e tendo tempo de sobra para aprender com a Natureza.
E a Natureza, como Mãe extremamente bondosa, foi fazendo o gosto e a vontade desses hóspedes que adotou como filhos.
Agora estamos vendo o resultado de tudo que plantamos nas vidas passadas: ninguém entende ninguém, o desequilíbrio moral, físico e financeiro tomou conta do mundo. E qual é a causa? A falta de obediência às leis naturais, que fez com que o ser “humano” somente pensasse e imaginasse, mas, jamais RACIOCINASSE.
E ainda têm a coragem de dizer que raciocinam, porque não sabem o que é raciocínio.
Quem raciocina conhece a linguagem universal que nos habilita ouvir e entender a voz do sol, da lua, das estrelas, das águas, da terra, dos animais e dos vegetais. Entende e se comunica também com todos os elementos invisíveis mantenedores de todo o existente.
Para ver como ninguém raciocina, pois, nem os próprios “humanos” se entendem entre si.
E, assim, pela falta de conhecimento verdadeiro da vida, a humanidade há muito se desligou da natureza, passando a viver contra ela, deixando de ter as orientações certas da Natureza para se proteger, com segurança, dos lugares marcados para ocorrências naturais fatais.
De forma, que pelo desconhecimento da vida, os seres “humanos” passaram a ocupar áreas que não deveriam ocupar, passaram a utilizar recursos da Natureza os quais não deveriam nem tocar, inventando coisas desnecessárias para o equilíbrio humano.
Tudo errado, por tudo ter sido fruto do gosto e da vontade sem limite.
Agora, a Natureza, desde 1935, providenciou uma nova fase, para dar a todos a oportunidade de se conhecerem pelo desenvolvimento do raciocínio.
Encomendou a Fase Racional, trazendo a cultura do nosso mundo de origem, a CULTURA RACIONAL, onde todos conhecerão o princípio e o fim do mundo, para que aquilatem o quanto todos erramos, porque erramos e como reverter essa situação para uma situação de acertos, através do desenvolvimento da mente superior, que é o raciocínio. Nessa cultura, finalmente, vamos aprender a raciocinar.
E quando todos estiverem raciocinando, não haverá mais catástrofes, pois, não haverá mais necessidade de providências drásticas da Mãe Natureza para colocar as coisas nos seus devidos lugares, porque tudo caminhará como a anfitriã determina e, não, de acordo com os gostos e vontades de seus hóspedes, que somos nós.
O entendimento será universal entre tudo e entre todos e o mundo será, finalmente, um Verdadeiro Paraíso Racional. Mas, para que isso aconteça, cada qual tem que fazer somente a parte que lhe compete, desenvolver o seu raciocínio estudando a CULTURA RACIONAL, nos Livros Universo em Desencanto.
Que a tragédia do Japão traga este saldo positivo: a reflexão e opção de todos pelo verdadeiro bem, o raciocínio, porque com o pensamento ninguém resolve mais nada, já que a fase do pensamento terminou em 1935. Procurem se certificar de tudo isso, para o seu próprio bem e o de toda a sua família.

Read Full Post »

 

Minha Gente muito Querida!
Um ditado muito antigo e muito certo diz o seguinte: “O saber não ocupa lugar”.
E sabem por que o saber não ocupa lugar? O saber não ocupa lugar porque é um conjunto de conhecimentos. E os conhecimentos, por sua vez, são energias que vibram em várias dimensões. E energia ninguém vê, energia não ocupa espaço.
E tendo como base isso que acabamos de falar, podemos conceituar Cultura de uma forma bem simples e que engloba todos os conceitos de cultura que a gente conhece ou que estão disponibilizados em dicionários e enciclopédias.
Podemos assim simplificar a cultura: como um conjunto de conhecimentos inerente a cada ser, correspondente à dimensão ou dimensões a que este ser está ligado.
E como cada ser é aquilo que se determina pelo uso do seu livre arbítrio e considerando que o bom ou mau uso do livre arbítrio é que direciona nossa ligação às dimensões existentes, podemos então concluir que cada um tem a cultura que fez por onde merecer.
O mundo em que vivemos, por ser um mundo deformado, fora de seu natural, está sempre em transformações. Nessas transformações, por ser um mundo deformado, vão surgindo novas dimensões, sempre com vibrações inferiores.
Isso é que leva os animais Racionais à instabilidade. Ligados à matéria, sofrem as influências dessas transformações sempre para pior.
Tudo isso dito, vamos entender um pouco mais sobre a cultura artificial filosófica e científica, a cultura primária, ainda adotada nos dias de hoje.
Para entender a necessidade da existência dela vamos lembrar aqui um ponto importantíssimo: nossa origem.
Éramos seres Racionais puros, limpos e perfeitos, de massa cósmica pura limpa e perfeita, eternos. Portanto, nossa vibração energética correspondia a um saber eterno.
Saímos do nosso habitat, por livre arbítrio, entrando num outro plano de vibração eterna, mas, ainda em formação e, por isso, sem progresso de pureza.
Perdemos todas as nossas virtudes e nos materializamos em cima dessa parte onde adentramos, parte essa que, por sua vez, transformou-se do que era para um conjunto elétrico e magnético.
Nosso ser eterno Racional materializado, sem suas virtudes e fora do seu natural, deu causa a duas máquinas elétricas e magnéticas, pensamento e imaginação, para servir de interação com o novo mundo a que passamos habitar.
Essas duas máquinas, para que fizessem o corpo (que se formou na matéria) funcionar neste novo mundo, tiveram um trabalho árduo e de muitas eternidades. Era preciso uma cultura provisória para estes seres provisórios, que, devido à perda de virtudes, saíram da dimensão suprema e passaram a viver na dimensão mais baixa, a matéria.
O ser Racional, envolvido pela matéria, sem ligação com sua dimensão vibratória natural, o MUNDO RACIONAL, ficou com sua função inativa.
Assim, os seres elétrico e magnético materializados como máquinas do pensamento e da imaginação, é que então teriam que ser desenvolvidos e lapidados, até que alcançassem vibrações semelhantes à do SER RACIONAL.
Neste ponto, então, não teriam dificuldades de aceitar uma cultura superior, que enfim chegaria para finalmente ativar a função do SER RACIONAL.
E assim foi que surgiu a necessidade da cultura primária, artificial, filosófica e científica, feita de acordo com as vibrações do campo invisível da matéria, elétrico e magnético, que seria o responsável pela criação dessa cultura na Terra, através de suas ferramentas, os animais Racionais.
Só mesmo um SER SUPREMO, teria essa capacidade de transmitir ao ASTRAL INFERIOR, através do ASTRAL SUPERIOR, um conjunto de conhecimentos possível de ser assimilado pelos seres elétricos e magnéticos para repasse aos animais Racionais, através do pensamento e da imaginação.
Daí já se concluir que esses conhecimentos artificiais não poderiam corresponder à VERDADE das verdades, já que a VERDADE é uma só, somente assimilável quando a vibração de quem a recebe é a mesma.
Só mesmo o Verdadeiro Deus, o RACIONAL SUPERIOR, para transmitir uma cultura assimilável por dois pólos distintos: elétrico e magnético.
E assim foi transmitida a cultura artificial filosófica e científica, apenas transmitida, para ser elaborada e criada pelos componentes do campo primário invisível material, o ASTRAL INFERIOR, já que a cultura artificial, a cultura primária, se destinava ao desenvolvimento do pensamento e da imaginação, as duas máquinas primárias de nossas cabeças, elétrica e magnética.
Essas máquinas, pensamento e imaginação, que se encontram à direita e à esquerda do nosso cérebro, e que constituem nossa mente inferior, representam a direita e a esquerda do ASTRAL INFERIOR, que criou, como dissemos, a cultura artificial, através de suas ferramentas que são todos os animais Racionais.
Portanto, foi uma cultura transmitida por DEUS, o RACIONAL SUPERIOR, condizente com o limite de condição da função das energias elétrica e magnética no ASTRAL INFERIOR.
E assim por essa cultura artificial se destinar ao desenvolvimento das máquinas do pensamento e da imaginação, para lapidação dos animais Racionais, não poderia ser a expressão da Verdade das verdades, porque os animais Racionais embrutecidos, teriam que ser lapidados energeticamente, para poderem estar preparados para receber a VERDADE.
E, assim, os seres variantes invisíveis, elétricos e magnéticos ficaram com a missão de elaborar e implantar essa cultura que lhe foi transmitida, utilizando para isso como ferramentas, os animais Racionais.
Lembramos, novamente, que sendo variantes os Habitantes do ASTRAL INFERIOR, bi polarizados, elétricos e magnéticos, não tinham condições energéticas de receber uma cultura de um pólo só.
Para que eles desenvolvessem uma cultura nos animais Racionais, essa cultura teria que ser condizente com a situação de vibração desses seres, onde existe o bem aparente e o mal, o positivo e o negativo, a direita e a esquerda, o elétrico e o magnético, o menos e o mais.
Se não fossem conhecimentos que respeitassem e atendessem essa condição variante, esses seres invisíveis elétricos e magnéticos, não teriam tido condições de captar a transmissão divina do RACIONAL SUPERIOR.
Para ver que o estrago, a desordem que fizemos com nossa saída do MUNDO RACIONAL foi tão hedionda, tão monstruosa, que o conserto de tudo isso teve que ser feito ao longo de muitas eternidades, nos preparando primeiro, através dos seres invisíveis elétricos e magnéticos, em duas grandes fases.
Tendo sido a primeira, a fase da imaginação, didaticamente chamada 1º milênio (que engloba 7 eternidades), onde a energia magnética teve um grandioso e árduo trabalho de ir implantando em nossas máquinas da imaginação as imagens de tudo que deveria ser criado, como base para o início da segunda.
E que essa segunda fase, chamada 2º milênio (que engloba outras 7 eternidades) onde a energia elétrica foi desenvolvendo e constituindo em ação, tudo que estava implantado em nossas máquinas da imaginação.
Foi aí se dando o desenvolvimento da máquina do pensamento em nossas cabeças.
Muitas eternidades se passaram até que, juntos, os comandos invisíveis elétricos e magnéticos do ASTRAL INFERIOR e do ASTRAL TÉRREO, chegaram ao final do seu trabalho de edificação da cultura artificial, a cultura primária, filosófica e científica, feita para lapidação dos animais Racionais, de forma a prepará-los para a vinda de uma cultura superior e definitiva, para desenvolvimento da mente superior.
A missão desses seres invisíveis cumprida, eles precisam retornar à sua origem, que eles são seres originados da água e da terra (muito ainda aqui a esclarecer, mas o assunto é longo).
Aqueles que se evoluíram no cumprimento dessa árdua missão de lapidação, foram iluminados passando a continuar sua missão junto ao ASTRAL SUPERIOR na Fase Racional, na recuperação dos animais Racionais.
Os que não se iluminaram, retornam à água e terra e, por isso, desde 1935, estão em processo de enfraquecimento, por não estarem sendo mais alimentados pela natureza, transmitindo esse enfraquecimento para o pensamento dos pensadores.
Sim, porque em 1935 o Verdadeiro DEUS, o RACIONAL SUPERIOR, veio finalmente transmitir a cultura definitiva, superior, a Verdade das verdades, anunciada há muito por sábios, profetas e astrólogos para o povo da Terra.
Essa transmissão foi feita aos Habitantes do ASTRAL SUPERIOR, seres puros e limpos, que saíram do MUNDO RACIONAL conosco, mas que, antes que suas virtudes se perdessem, paralisaram o progresso que iniciamos na PLANÍCIE RACIONAL, passando eles a constituir o ASTRAL SUPERIOR, onde não existe o mal, um campo muito acima do sol, acima do eletromagnetismo, e abaixo do MUNDO RACIONAL, constituindo a Energia Mediadora Consciente, do pensamento natural.
O RACIONAL SUPERIOR pode transmitir a VERDADE das verdades a eles, por eles pertencerem a um só pólo energético, não-variante, puro e limpo, onde todos são um só, apenas lhes faltando a perfeição.
E estando nessa condição, absolutamente aptos a construir na Terra a CULTURA RACIONAL, a cultura do desenvolvimento do raciocínio, por a humanidade agora já estar preparada para isso, por estar com o pensamento desenvolvido e em condições de assimilar tamanha grandeza: a VERDADE das verdades.
Para verem a trabalheira que nós temos dado ao nosso PAI ETERNO, o RACIONAL SUPERIOR.
E a nossa rudez, abuso e atraso já foram tão piores do que os de hoje, que chegamos, no passado, a alterar a escrituração sagrada pertinente ao curso primário, que, na época, era uma única escrituração que, com as adulterações deu origem a mais de mil escriturações nos dias de hoje, todas diferentes uma das outras.
Adulterações feitas pelo uso do livre arbítrio, de acordo com as idéias, os gostos e as vontades dos responsáveis pelas adulterações. Fora os erros cometidos por uma falta maior de capacidade para traduzir o grego, o latim e o hebraico, que eram os idiomas da época.
Essa a razão da escrituração sagrada original não ter dado os efeitos que deveria ter dado, devidos as adulterações.
E assim, sendo toda a cultura artificial baseada nessa escrituração, também essa cultura artificial foi desvirtuada daquilo do que deveria fazer, ou seja, construir a real civilização do animal Racional e que esse objetivo não foi alcançado, fazendo com que a selvageria e as monstruosidades do passado chegassem até os nossos dias, fazendo do mundo uma casa de loucos.
Essas adulterações aqui referidas, constituíram mais uma grande dívida da humanidade para com o SER SUPREMO, além de gerar muitas confusões relativas à sua personalidade, surgindo milhares de deuses, uns já esquecidos, outros ainda admitidos, gerando muitas guerras religiosas e muitas mortes e sacrifício de pessoas.
Está aí, mais uma vez, o porquê da nossa insistência para que todos estudem CULTURA RACIONAL, pois, somente com esse estudo irão compreender, que a causa de todos os desequilíbrios do mundo em que vivemos é mesmo culpa dos nossos gostos e das nossas vontades sem limites, através dos quais os marginais do espaço procuram nos desvirtuar do bem para o mal, para aumentar nossa lapidação e sofrimento.
As adulterações a que nos referimos aqui foram todas intuídas por esses elementos, e que estão presentes em forma de energia onde quer que essas adulterações tenham sido feitas. Tudo isso para nossa lapidação. É a missão deles.
Façam uma pesquisa, comparando as milhares de escriturações sagradas existentes e comprovarão o que estamos dizendo.
A palavra de DEUS não poderia ter sido adulterada, mesmo em se tratando do curso primário. Essa mais uma grande dívida da humanidade para com o SER SUPREMO.
Agora, DEUS transmitiu a CULTURA RACIONAL, a continuação de todas as escriturações e de tudo existente, dando ao ASTRAL SUPERIOR a missão de implantar essa cultura superior na Terra.
Essa é a nossa última oportunidade de mostrar ao nosso PAI ETERNO que já aprendemos a lição, de que a ELE devemos obediência irrestrita, porque a VERDADE não se discute, apenas pratica-se.
Acho que temos deixado bem claro aqui no “A VERDADEIRA ORIGEM DA HUMANIDADE!”, através da inúmeras postagens desde 2007, que a CULTURA RACIONAL jamais poderia ser contra alguém ou contra alguma coisa, porque tudo que existiu e que ainda existe, apesar de ter sido adulterado, foi originalmente transmitido por UM só, DEUS, o RACIONAL SUPERIOR.
Tudo foi transmitido originalmente por DEUS. As distorções e adulterações foram causadas pelo mal uso do livre arbítrio, em conseqüência da falta de limite nos gostos e nas vontades, desvirtuando os animais Racionais do bem para o mal e tornando-os máquinas de um progresso ludibriador, que tem levado tudo e todos a progresso destruidor da vida e da natureza.
Mas, DEUS é amor eterno.
E aí está o perdão de todas essas torpezas, de todos esses abusos, de todas essas adulterações.
E que esse perdão consiste em cada qual procurar estudar a continuação de todas as escriturações sagradas, frutos de adulterações.
E que essa continuação corrige todas as distorções feitas e acrescenta pontos inexistentes na escrituração do curso primário, pontos que só agora o animal Racional está preparado para assimilar e absorver.
E que essa continuação de tudo e de todas as culturas, se encontra na escrituração Universo em Desencanto, de CULTURA RACIONAL, o curso superior, que deverá ser adotado, indistintamente por todas as instituições, para que todos aprendamos a raciocinar, ou seja, se guiar, sem distorções, pela VERDADE das verdades que é DEUS, o RACIOCÍNIO SUPERIOR A TODOS OS RACIOCÍNIOS e a ENERGIA SUPERIOR A TODAS AS ENERGIAS, o RACIONAL SUPERIOR.
http://www.culturaracional.com.br
http://www.encontroracional.com.br

Read Full Post »

Minha gente!
Estamos vivendo uma fase única, com características muito especiais, jamais encontradas anteriormente neste velho e sofredor mundo em que vivemos.
Passamos por milhares de anos buscando, fora de nós, uma forma de equilíbrio, que nos permitisse viver em paz com tudo e com todos, mas, principalmente com a gente mesmo.
Mas, por estarmos ainda muito embrutecidos, achávamos que este velho mundo era o mundo verdadeiro, que este mundo era eterno, mesmo vendo que nele tudo se transforma. E por assim pensarmos, queríamos encontrar nesse velho mundo a solução de uma vida de harmonia.
Nem vendo a diversidade de elementos existentes nesse mundo, onde existe o bem e o mal, o macho e a fêmea, o frio e o calor, não conseguíamos enxergar a impossibilidade de estar neste mundo com essa diversidade de elementos, o ponto de equilíbrio do ser RACIONAL.
O ser RACIONAL é o ser que está acima do bem e do mal, que o bem existente neste mundo de sofrimentos, ainda não é o bem verdadeiro. Sim, porque se fosse o bem verdadeiro, há muito já teria vencido o mal e teria conduzido toda a humanidade e o tudo existente neste mundo para uma união de paz, amor e fraternidade verdadeira.
O ser RACIONAL, portanto, é o ser DIVINO, sim, divino, sim, porque está acima do bem e do mal.
Este ser RACIONAL, sendo buscado arduamente na matéria, que é um conjunto do bem aparente com o mal, é um conjunto elétrico e magnético, jamais poderia mesmo ser encontrado.
E foi nessas buscas milenares do ser RACIONAL na matéria, que, todos nós, nos tornamos cada vez mais ligados à matéria e distanciados do ser RACIONAL, o ser DIVINO.
E por que DEUS não interveio nessa busca e nos mostrou o canal certo há mais tempo? Muitos perguntarão.
Porque ELE é um SER SUPREMO RACIONAL, não é contra nada, não é contra ninguém e não comete ingerências na vida de ser nenhum. Não faz coação à liberdade, respeita o livre arbítrio de todos.
Mas, advertências não faltaram.
Somos originários de DEUS, o SUPREMO RACIONAL, que constitui o MUNDO SUPREMO, por ele criado, um mundo completamente diferente deste segundo mundo em que vivemos e do qual somos os únicos responsáveis e causadores.
Quando habitávamos o MUNDO SUPREMO, junto ao ser RACIONAL SUPREMO, que é DEUS, um mundo de energia pura, limpa e perfeita, gozávamos de pleno equilíbrio e de pleno uso da vontade.
E pela liberdade que tínhamos, resolvemos dar expansão a ela, dando causa a este universo deformado em que vivemos, onde nada é igual, nada é perfeito e, por isso, está em constante transformação para voltar à perfeição.
Quando decidimos dar expansão a essa vontade, fomos advertidos por DEUS, o ser SUPREMO RACIONAL, que essa expansão daria causa ao sofrimento, coisa que não conhecíamos. E, assim, por não conhecermos o sofrimento, decidimos continuar aquela empreitada, deixando de ouvir as advertências do SER SUPREMO RACIONAL.
O resultado de tudo isso hoje estamos sentindo em nossa própria pele: perdemos a consciência do SER RACIONAL e constituímos a consciência animal, que é a consciência que desenvolvemos nesse segundo mundo – do pensamento e da imaginação.
Mas, não perdemos o vínculo com o SER SUPREMO RACIONAL. Este vínculo está dentro de nós e, não fora, aguardando que cada um, por si mesmo, se conscientize da existência desse vínculo e procure desenvolvê-lo. Este vínculo é o raciocínio, que é o Habitante do MUNDO RACIONAL que sempre fomos, mas que está materializado em forma de máquina do raciocínio dentro de nossas cabeças, como Glândula Pineal.
Por isso, chamamos à atenção todos os nossos irmãos semelhantes, para a peculiaridade da fase em que estamos vivendo. Uma fase em que cada um é responsável por si mesmo, já que cada um carece de compreender que ninguém, ninguém mesmo, poderá desenvolver algo que está dentro de você e, em assim sendo, ninguém poderá fazer nada por ninguém nesse sentido, mas que cada um tem a liberdade de procurar desenvolver este poder incalculável que tem e que não está em função, por falta da vontade em procurar fazer por onde desenvolvê-lo.
O SER SUPREMO RACIONAL, sempre esteve a olhar o mundo, mas, agora está aguardando que cada um se decida a se ligar à ENERGIA RACIONAL, a energia do SER SUPREMO RACIONAL, a energia de DEUS, para que o mundo fique por conta de DEUS e, não, dos seus habitantes, que tem os visíveis, que somos nós e tem os invisíveis, que sempre nos governaram através do pensamento e da imaginação, nos preparando para este momento único e recuperador do animal Racional, a FASE RACIONAL.
Nossa história até chegar aqui é muito longa. Lendo os Livros da ENERGIA RACIONAL, UNIVERSO EM DESENCANTO, vocês irão saber, compreender e entender o porquê de tudo. O porquê da necessidade de haver tantas filosofias diferentes, tantas ciências diferentes, tantas doutrinas diferentes, tantas ideologias diferentes, tantas seitas e religiões diferentes, tantas bíblias diferentes e passarão, com absoluta certeza, a respeitar todas, por passarem a ter consciência positiva Racional do por que da existência de tudo isso, que foi a longa preparação que tivemos que passar, para resgatar a grande dívida que fizemos ao sair do nosso mundo verdadeiro natural, o MUNDO RACIONAL.
Quando se inteirarem de tudo isso, passarão a desenvolver um amor completamente diferente do amor que hoje conhecem, um amor eterno, puro, sem aparências, um amor incondicional por tudo, por todos, mas, principalmente, um amor incomensurável pelo SER SUPREMO RACIONAL, que é DEUS.
É quando então, quando todos assim estiverem nessa condição sublime, é que o mundo ficará por conta de DEUS e, não por conta de seus habitantes.
Vamos juntos, meus irmãos, acelerar esse apoteótico dia do mundo ficar por conta do nosso PAI VERDADEIRO, procurando estudar o que a nossa Mãe NATUREZA nos trouxe do nosso PAI VERDADEIRO, que é o conhecimento completo da nossa verdadeira história, desde que saímos da nossa origem eterna até nos deformamos nesta vida de matéria, como animais Racionais.
Esse conhecimento é imprescindível para que sejamos UM por todos e todos por UM, e esse Um é o SER SUPREMO RACIONAL, que está à espera de todos no nosso verdadeiro mundo de origem, o MUNDO RACIONAL.
ALEGRIA MINHA GENTE, JÁ QUE AGORA A NOSSA SALVAÇÃO, QUE O NOME CERTO É RETORNO À ORIGEM, não depende de ninguém mais, só mesmo de nós próprios.
VAMOS RACIOCINAR!
http://www.culturaracional.com.br
http://www.encontroracional.com.b

Read Full Post »