Feeds:
Posts
Comentários

Archive for the ‘Ser Racional’ Category

 

Minha Gente muito Querida que visita este espaço:
O que é ser culto?
Tem gente que pensa que ser culto é ter informações sobre tudo o que existe, que ser culto é ser bem informado.
Outros se referem a alguém como muito culto, por essa pessoa ter um currículo escolar muito bom, com muitas graduações de nível superior, pós-graduação, doutorado e outras mais.
Mas, minha gente, nada disso deve ser considerado como referência para considerar culta ou não uma pessoa.
Se formos nos basear na cultura artificial que tem conduzido a humanidade até os dias de hoje, vamos encontrar mais de 167 conceitos diferentes de cultura.
Então, como o pensamento é variante, cada um pensa diferente do outro. E está aí a confusão formada, com esse número grande de conceitos diferentes sobre cultura. Ser culto, então, teria mais de 167 significados.
Estão vendo, minha gente, como o pensamento é confuso?
Porém, quando a gente passa a estudar a CULTURA RACIONAL tudo isso se simplifica.
Uma pessoa culta, é toda aquela que está com o raciocínio completamente desenvolvido e evoluído, por estar no raciocínio, a cultura verdadeira da Natureza.
A cultura verdadeira da Natureza é natural. Natural é o nosso estado original, de onde viemos e para onde vamos. E se somos animais Racionais é porque nossa origem é RACIONAL. E o nosso natural sendo RACIONAL, a cultura natural é RACIONAL, e o mundo de origem do animal Racional é o MUNDO RACIONAL.
O MUNDO RACIONAL, que é a origem verdadeira da humanidade, é um mundo de energia pura, limpa perfeita e, por assim ser, é um mundo eterno, muito diferente deste mundo material em que nós nos encontramos, que é um mundo de imperfeições, provisório e passageiro.
E isso temos explicado muito aqui neste espaço.
Então, minha gente, quando a gente começa a compreender a diferença entre a CULTURA RACIONAL e a cultura artificial, é quando a gente começa a trilhar o verdadeiro caminho da cultura.
E, assim, é preciso conhecer bem essa diferença, para saber o objetivo da cultura artificial e o objetivo da CULTURA RACIONAL.
A cultura artificial é uma cultura material.
Por que material?
Porque foi feita pelas energias elétrica e magnética, pensamento e imaginação, duas energias do chão, que compõem e constituem este universo material perecível em que vivemos.
Sendo que este universo material, elétrico e magnético, tem a parte invisível e a parte visível.
A parte invisível é que gera, cria, mantém e governa a parte visível.
Para que?
Para manter a parte visível em lapidação. Manter os seres materializados no chão, para sua lapidação. E em se tratando dos seres humanos, todos sendo lapidados para, depois de bem lapidados, estarem preparados para conhecer uma cultura superior, que é a cultura verdadeira do animal Racional, a cultura do 1º mundo, o MUNDO RACIONAL, que deu origem a este segundo mundo em que vivemos.
E essa cultura do 1º mundo é a Cultura Racional, cujo objetivo é elevar o animal Racional para a condição de Racional, condição essa onde o ser humano passa a conhecer como retornar ao seu verdadeiro estado natural de Racional puro, limpo e perfeito, no MUNDO RACIONAL.
Então, a CULTURA RACIONAL é para ligação da humanidade ao MUNDO SUPERIOR, origem verdadeira.
E a cultura artificial é para manter a humanidade ligada no chão, na matéria, para sua lapidação.
E enquanto a pessoa não estiver bem lapidada – que lapidação é sofrimento puro – então, enquanto a pessoa não estiver bem lapidada, continua à mercê do sofrimento, tendo o sofrimento como guia.
E tendo o sofrimento como guia, tudo que essa pessoa faz e decide a conduz aos desacertos, para manter seu sofrimento e, através do sofrimento, ir compreendendo, ir chegando à conclusão da necessidade de se desprender da matéria e de buscar um rumo diferente daquele que essa pessoa conhece. Um rumo que seja capaz de tirá-la desse mundo de sofrimento e de dor, desse mundo material.
E, aí, ao buscar com sinceridade, irá, com certeza, encontrar o certo de sua vida, que o certo é um só e que se encontra no seu antes de ser o que é.
E no seu antes de ser o que é, está a sua origem verdadeira, porque não há efeito sem causa.
Está aí o porquê a cultura artificial filosófica e científica é uma cultura material.
A cultura para conduzir todos à lapidação do chão, da matéria.
E nessa lapidação, tirar nosso atraso, nossa rudez e brutalidade.
Está aí o objetivo da cultura filosófica e científica: a lapidação.
E esse trabalho de lapidação é feito pelas duas energias da matéria, elétrica e magnética, que trabalham juntas, tal como uma moeda com suas duas faces, o bem e o mal.
O lado do bem é o chamarisco para levar os viventes ao sofrimento. É o bem aparente.
O vivente é ludibriado pela energia elétrica que o conduz a uma situação aparentemente boa, onde o vivente se sente alegre, feliz, em paz e com um grande bem-estar.
Ah, aí está o perigo!
É o desconhecimento da vida que faz com que o vivente fique iludido com aquele bem aparente.
E, aí, vai fundo, se entrega àquela situação aparente de felicidade e bem-estar.
Aí, quando acha que enfim encontrou a paz e a harmonia, o outro lado da moeda, a energia magnética, entra, sorrateiramente em ação e coloca abaixo toda aquela situação aparente de felicidade e de paz.
Tudo aparência!
Vejam, amigos queridos, quantos exemplos temos disso pela vida afora.
Um belo passeio, aonde todos vão felizes e alegres; e acaba, muitas das vezes, em fatalidades cruéis.
Os casamentos e as uniões, que pareciam ser um mar de rosas eterno; e terminam numa relação intragável e difícil de se levar, quando não acabam em separações turbulentas, onde ambos se tornam inimigos. E, às vezes, um tirando a vida do outro. E eram tão apaixonados no início, diziam se amar tanto! Tudo aparência!
E os amigos que muitas vezes se encontram em bares ou festas, naquela grande alegria, para se confraternizarem, para uma diversão. E nesses encontros, quantos acabando em discussões por coisas à toa, sem sentido, gerando brigas às vezes fatais.
E a alegria de se ingressar numa faculdade, na esperança de naquela escola encontrar o caminho certo para sua realização pessoal.
E lá chegando, muitas vezes por influências dos colegas, que se dizem amigos, a pessoa acaba se embrenhando no caminho das drogas ou em confusões organizadas para protestar coisas, que aqueles alunos nem sabem o porquê aquelas coisas ou situações existem.
É, porque tudo tem uma razão de ser, porque tudo tem um dono invisível, que arquitetou isso ou aquilo exatamente para criar a confusão.
Olha, minha gente, os exemplos estão em todos os lugares e situações e são incontáveis.
Toda essa confusão no mundo é meticulosamente arquitetada no invisível, antes dela acontecer no mundo visível.
Ninguém faz nada. Todos são marionetes manipulados pelas forças elétricas e magnéticas, que constituem essa moeda de duas faces, que é o pensamento lapidador.
Mas, quem nada disso conhece, vai aceitando tudo como grande coisa e como se tudo que fizesse fosse de sua própria autoria.
Quanta inconsciência!
Quanto atraso!
Tanto sofrimento no mundo, tanta derrota, feita pela aceitação cega dessa cultura filosófica e científica; e os viventes estão custando a acordar para a realidade negativa e destrutiva dessa cultura embusteira, que há milhões de milênios leva os viventes à destruição de si mesmos e da natureza.
Para ver o que é a cultura do pensamento, filosófica e científica. Muito boa, mas, somente para lapidar.
Para ver o que é o pensamento.
Enquanto a humanidade viver desconhecida de si mesma, continuará assim, sendo ferramenta do pensamento, adotando essa cultura artificial materialista, para manter a desunião de toda a humanidade.
E sem união, não há paz.
Para colocar fim nessa inconsciência doentia, é preciso que todos passem a se conhecer, para deixarem de ser instrumentos de sua própria ruína.
É preciso que cada qual se governe.
E para que cada qual se governe, é preciso desenvolver o raciocínio.
Pois, o raciocínio é uma energia ETERNA, materializada dentro de nossas cabeças e que, ao ser desenvolvida e evoluída, essa energia passa a ter função ativa, nos desligando desse comando invisível do pensamento elétrico e magnético.
É preciso se conhecer.
Não há outro caminho, para quem quiser parar de sofrer.
E para se conhecer, todos precisam saber quem são, de onde são, de onde vieram e para onde vão.
E tudo isso, as explicações minuciosas e detalhadas sobre tudo isso, somente poderão ser encontradas na cultura do raciocínio, a CULTURA RACIONAL, a cultura do desenvolvimento do raciocínio, vinda do nosso verdadeiro Mundo de Origem, o MUNDO RACIONAL, para desligamento de toda a humanidade dessas duas energias do chão, elétrica e magnética, pensamento e imaginação; e, com esse desligamento, fazer a ligação certa e correta da humanidade ao seu Verdadeiro Mundo de Origem, o MUNDO RACIONAL, o mundo do Verdadeiro Deus, que é um SER Racional como nós, porém, SUPERIOR, e por isso se trata o RACIONAL SUPERIOR.
Portanto, a cultura artificial é a cultura para manter todos ligados ao chão, para sua lapidação, sendo, portanto, uma cultura materialista.
E a CULTURA RACIONAL, a cultura para tirar todos do chão, ligando todos ao MUNDO SUPREMO, o MUNDO RACIONAL, que é de onde viemos e para onde vamos, o mundo dos eternos.
A opção é sua, leitor amigo!
Mas, saiba, que a natureza mudou de fase, desde 1935, com a entrada da Fase Racional, do desenvolvimento do raciocínio.
E de forma, que aqueles que optarem por continuar ligados à matéria, sob o comando do pensamento elétrico e magnético, não nascerão mais como animais Racionais, porque com a mudança de fase, o pensamento e a imaginação passaram a governar somente os animais irracionais, tendo fim a classe do animal Racional, que está em extinção.
Os animais Racionais que passam para a Fase Racional, tonam-se Aparelhos Racionais, subindo de classe, porque estão estudando a Cultura da ENERGIA RACIONAL e a ela se aparelhando.
Portanto, os que continuarem sob o comando do pensamento e da imaginação, continuarão ligados à vida do chão, ligados às energias elétrica e magnética, se transformando para a classe inferior dos animais irracionais, porque não há efeito sem causa. A pessoa se transforma na energia em que estiver ligada.
E sobre isso já explicamos muito aqui neste blog.
E, assim, minha gente, está aí na Cultura Racional, o final da verdadeira odisséia do animal Racional, por não ser uma cultura material, do chão, e, sim, uma cultura das mais elevadas que existe, uma cultura de cima, do primeiro mundo, uma cultura sem rival, por ser a verdadeira cultura de DEUS, a verdadeira linha de DEUS, o encontro com DEUS, o encontro RACIONAL.
E por ser uma cultura extra cósmica, da verdadeira origem da humanidade e de tudo existente, não alimenta fantasias, sonhos e ilusões, porque os sonhos, as fantasias e as ilusões é que mantiveram, por longas eternidades, o Habitante do MUNDO RACIONAL, o raciocínio, preso pelo magnético nessas trevas inconscientes do chão.
Portanto, o raciocínio é a máquina do mundo da razão da vida, o MUNDO RACIONAL.
E o pensamento e a imaginação, duas máquinas do chão, da degeneração e da deformação da vida, para lapidação de todos que estão ligados na vida do chão.
E, assim, está aí o que é um vivente verdadeiramente culto. É aquele que não mais alimenta aparências, estando ligado à Energia Racional e sendo comandando por ela e, por isso, ama o próximo como a si mesmo e faz o bem sem olhar a quem, porque passou a se conhecer na Cultura Racional, tornando-se culto Racionalmente, por ter compreendido e entendido que o leme real da vida é um só:
RACIOCINAR SEMPRE! PENSAR, NUNCA!
http://www.culturaaracional.com.br
http://www.encontroracional.com.br

Read Full Post »

 

Minha Gente muito Querida!
Um ditado muito antigo e muito certo diz o seguinte: “O saber não ocupa lugar”.
E sabem por que o saber não ocupa lugar? O saber não ocupa lugar porque é um conjunto de conhecimentos. E os conhecimentos, por sua vez, são energias que vibram em várias dimensões. E energia ninguém vê, energia não ocupa espaço.
E tendo como base isso que acabamos de falar, podemos conceituar Cultura de uma forma bem simples e que engloba todos os conceitos de cultura que a gente conhece ou que estão disponibilizados em dicionários e enciclopédias.
Podemos assim simplificar a cultura: como um conjunto de conhecimentos inerente a cada ser, correspondente à dimensão ou dimensões a que este ser está ligado.
E como cada ser é aquilo que se determina pelo uso do seu livre arbítrio e considerando que o bom ou mau uso do livre arbítrio é que direciona nossa ligação às dimensões existentes, podemos então concluir que cada um tem a cultura que fez por onde merecer.
O mundo em que vivemos, por ser um mundo deformado, fora de seu natural, está sempre em transformações. Nessas transformações, por ser um mundo deformado, vão surgindo novas dimensões, sempre com vibrações inferiores.
Isso é que leva os animais Racionais à instabilidade. Ligados à matéria, sofrem as influências dessas transformações sempre para pior.
Tudo isso dito, vamos entender um pouco mais sobre a cultura artificial filosófica e científica, a cultura primária, ainda adotada nos dias de hoje.
Para entender a necessidade da existência dela vamos lembrar aqui um ponto importantíssimo: nossa origem.
Éramos seres Racionais puros, limpos e perfeitos, de massa cósmica pura limpa e perfeita, eternos. Portanto, nossa vibração energética correspondia a um saber eterno.
Saímos do nosso habitat, por livre arbítrio, entrando num outro plano de vibração eterna, mas, ainda em formação e, por isso, sem progresso de pureza.
Perdemos todas as nossas virtudes e nos materializamos em cima dessa parte onde adentramos, parte essa que, por sua vez, transformou-se do que era para um conjunto elétrico e magnético.
Nosso ser eterno Racional materializado, sem suas virtudes e fora do seu natural, deu causa a duas máquinas elétricas e magnéticas, pensamento e imaginação, para servir de interação com o novo mundo a que passamos habitar.
Essas duas máquinas, para que fizessem o corpo (que se formou na matéria) funcionar neste novo mundo, tiveram um trabalho árduo e de muitas eternidades. Era preciso uma cultura provisória para estes seres provisórios, que, devido à perda de virtudes, saíram da dimensão suprema e passaram a viver na dimensão mais baixa, a matéria.
O ser Racional, envolvido pela matéria, sem ligação com sua dimensão vibratória natural, o MUNDO RACIONAL, ficou com sua função inativa.
Assim, os seres elétrico e magnético materializados como máquinas do pensamento e da imaginação, é que então teriam que ser desenvolvidos e lapidados, até que alcançassem vibrações semelhantes à do SER RACIONAL.
Neste ponto, então, não teriam dificuldades de aceitar uma cultura superior, que enfim chegaria para finalmente ativar a função do SER RACIONAL.
E assim foi que surgiu a necessidade da cultura primária, artificial, filosófica e científica, feita de acordo com as vibrações do campo invisível da matéria, elétrico e magnético, que seria o responsável pela criação dessa cultura na Terra, através de suas ferramentas, os animais Racionais.
Só mesmo um SER SUPREMO, teria essa capacidade de transmitir ao ASTRAL INFERIOR, através do ASTRAL SUPERIOR, um conjunto de conhecimentos possível de ser assimilado pelos seres elétricos e magnéticos para repasse aos animais Racionais, através do pensamento e da imaginação.
Daí já se concluir que esses conhecimentos artificiais não poderiam corresponder à VERDADE das verdades, já que a VERDADE é uma só, somente assimilável quando a vibração de quem a recebe é a mesma.
Só mesmo o Verdadeiro Deus, o RACIONAL SUPERIOR, para transmitir uma cultura assimilável por dois pólos distintos: elétrico e magnético.
E assim foi transmitida a cultura artificial filosófica e científica, apenas transmitida, para ser elaborada e criada pelos componentes do campo primário invisível material, o ASTRAL INFERIOR, já que a cultura artificial, a cultura primária, se destinava ao desenvolvimento do pensamento e da imaginação, as duas máquinas primárias de nossas cabeças, elétrica e magnética.
Essas máquinas, pensamento e imaginação, que se encontram à direita e à esquerda do nosso cérebro, e que constituem nossa mente inferior, representam a direita e a esquerda do ASTRAL INFERIOR, que criou, como dissemos, a cultura artificial, através de suas ferramentas que são todos os animais Racionais.
Portanto, foi uma cultura transmitida por DEUS, o RACIONAL SUPERIOR, condizente com o limite de condição da função das energias elétrica e magnética no ASTRAL INFERIOR.
E assim por essa cultura artificial se destinar ao desenvolvimento das máquinas do pensamento e da imaginação, para lapidação dos animais Racionais, não poderia ser a expressão da Verdade das verdades, porque os animais Racionais embrutecidos, teriam que ser lapidados energeticamente, para poderem estar preparados para receber a VERDADE.
E, assim, os seres variantes invisíveis, elétricos e magnéticos ficaram com a missão de elaborar e implantar essa cultura que lhe foi transmitida, utilizando para isso como ferramentas, os animais Racionais.
Lembramos, novamente, que sendo variantes os Habitantes do ASTRAL INFERIOR, bi polarizados, elétricos e magnéticos, não tinham condições energéticas de receber uma cultura de um pólo só.
Para que eles desenvolvessem uma cultura nos animais Racionais, essa cultura teria que ser condizente com a situação de vibração desses seres, onde existe o bem aparente e o mal, o positivo e o negativo, a direita e a esquerda, o elétrico e o magnético, o menos e o mais.
Se não fossem conhecimentos que respeitassem e atendessem essa condição variante, esses seres invisíveis elétricos e magnéticos, não teriam tido condições de captar a transmissão divina do RACIONAL SUPERIOR.
Para ver que o estrago, a desordem que fizemos com nossa saída do MUNDO RACIONAL foi tão hedionda, tão monstruosa, que o conserto de tudo isso teve que ser feito ao longo de muitas eternidades, nos preparando primeiro, através dos seres invisíveis elétricos e magnéticos, em duas grandes fases.
Tendo sido a primeira, a fase da imaginação, didaticamente chamada 1º milênio (que engloba 7 eternidades), onde a energia magnética teve um grandioso e árduo trabalho de ir implantando em nossas máquinas da imaginação as imagens de tudo que deveria ser criado, como base para o início da segunda.
E que essa segunda fase, chamada 2º milênio (que engloba outras 7 eternidades) onde a energia elétrica foi desenvolvendo e constituindo em ação, tudo que estava implantado em nossas máquinas da imaginação.
Foi aí se dando o desenvolvimento da máquina do pensamento em nossas cabeças.
Muitas eternidades se passaram até que, juntos, os comandos invisíveis elétricos e magnéticos do ASTRAL INFERIOR e do ASTRAL TÉRREO, chegaram ao final do seu trabalho de edificação da cultura artificial, a cultura primária, filosófica e científica, feita para lapidação dos animais Racionais, de forma a prepará-los para a vinda de uma cultura superior e definitiva, para desenvolvimento da mente superior.
A missão desses seres invisíveis cumprida, eles precisam retornar à sua origem, que eles são seres originados da água e da terra (muito ainda aqui a esclarecer, mas o assunto é longo).
Aqueles que se evoluíram no cumprimento dessa árdua missão de lapidação, foram iluminados passando a continuar sua missão junto ao ASTRAL SUPERIOR na Fase Racional, na recuperação dos animais Racionais.
Os que não se iluminaram, retornam à água e terra e, por isso, desde 1935, estão em processo de enfraquecimento, por não estarem sendo mais alimentados pela natureza, transmitindo esse enfraquecimento para o pensamento dos pensadores.
Sim, porque em 1935 o Verdadeiro DEUS, o RACIONAL SUPERIOR, veio finalmente transmitir a cultura definitiva, superior, a Verdade das verdades, anunciada há muito por sábios, profetas e astrólogos para o povo da Terra.
Essa transmissão foi feita aos Habitantes do ASTRAL SUPERIOR, seres puros e limpos, que saíram do MUNDO RACIONAL conosco, mas que, antes que suas virtudes se perdessem, paralisaram o progresso que iniciamos na PLANÍCIE RACIONAL, passando eles a constituir o ASTRAL SUPERIOR, onde não existe o mal, um campo muito acima do sol, acima do eletromagnetismo, e abaixo do MUNDO RACIONAL, constituindo a Energia Mediadora Consciente, do pensamento natural.
O RACIONAL SUPERIOR pode transmitir a VERDADE das verdades a eles, por eles pertencerem a um só pólo energético, não-variante, puro e limpo, onde todos são um só, apenas lhes faltando a perfeição.
E estando nessa condição, absolutamente aptos a construir na Terra a CULTURA RACIONAL, a cultura do desenvolvimento do raciocínio, por a humanidade agora já estar preparada para isso, por estar com o pensamento desenvolvido e em condições de assimilar tamanha grandeza: a VERDADE das verdades.
Para verem a trabalheira que nós temos dado ao nosso PAI ETERNO, o RACIONAL SUPERIOR.
E a nossa rudez, abuso e atraso já foram tão piores do que os de hoje, que chegamos, no passado, a alterar a escrituração sagrada pertinente ao curso primário, que, na época, era uma única escrituração que, com as adulterações deu origem a mais de mil escriturações nos dias de hoje, todas diferentes uma das outras.
Adulterações feitas pelo uso do livre arbítrio, de acordo com as idéias, os gostos e as vontades dos responsáveis pelas adulterações. Fora os erros cometidos por uma falta maior de capacidade para traduzir o grego, o latim e o hebraico, que eram os idiomas da época.
Essa a razão da escrituração sagrada original não ter dado os efeitos que deveria ter dado, devidos as adulterações.
E assim, sendo toda a cultura artificial baseada nessa escrituração, também essa cultura artificial foi desvirtuada daquilo do que deveria fazer, ou seja, construir a real civilização do animal Racional e que esse objetivo não foi alcançado, fazendo com que a selvageria e as monstruosidades do passado chegassem até os nossos dias, fazendo do mundo uma casa de loucos.
Essas adulterações aqui referidas, constituíram mais uma grande dívida da humanidade para com o SER SUPREMO, além de gerar muitas confusões relativas à sua personalidade, surgindo milhares de deuses, uns já esquecidos, outros ainda admitidos, gerando muitas guerras religiosas e muitas mortes e sacrifício de pessoas.
Está aí, mais uma vez, o porquê da nossa insistência para que todos estudem CULTURA RACIONAL, pois, somente com esse estudo irão compreender, que a causa de todos os desequilíbrios do mundo em que vivemos é mesmo culpa dos nossos gostos e das nossas vontades sem limites, através dos quais os marginais do espaço procuram nos desvirtuar do bem para o mal, para aumentar nossa lapidação e sofrimento.
As adulterações a que nos referimos aqui foram todas intuídas por esses elementos, e que estão presentes em forma de energia onde quer que essas adulterações tenham sido feitas. Tudo isso para nossa lapidação. É a missão deles.
Façam uma pesquisa, comparando as milhares de escriturações sagradas existentes e comprovarão o que estamos dizendo.
A palavra de DEUS não poderia ter sido adulterada, mesmo em se tratando do curso primário. Essa mais uma grande dívida da humanidade para com o SER SUPREMO.
Agora, DEUS transmitiu a CULTURA RACIONAL, a continuação de todas as escriturações e de tudo existente, dando ao ASTRAL SUPERIOR a missão de implantar essa cultura superior na Terra.
Essa é a nossa última oportunidade de mostrar ao nosso PAI ETERNO que já aprendemos a lição, de que a ELE devemos obediência irrestrita, porque a VERDADE não se discute, apenas pratica-se.
Acho que temos deixado bem claro aqui no “A VERDADEIRA ORIGEM DA HUMANIDADE!”, através da inúmeras postagens desde 2007, que a CULTURA RACIONAL jamais poderia ser contra alguém ou contra alguma coisa, porque tudo que existiu e que ainda existe, apesar de ter sido adulterado, foi originalmente transmitido por UM só, DEUS, o RACIONAL SUPERIOR.
Tudo foi transmitido originalmente por DEUS. As distorções e adulterações foram causadas pelo mal uso do livre arbítrio, em conseqüência da falta de limite nos gostos e nas vontades, desvirtuando os animais Racionais do bem para o mal e tornando-os máquinas de um progresso ludibriador, que tem levado tudo e todos a progresso destruidor da vida e da natureza.
Mas, DEUS é amor eterno.
E aí está o perdão de todas essas torpezas, de todos esses abusos, de todas essas adulterações.
E que esse perdão consiste em cada qual procurar estudar a continuação de todas as escriturações sagradas, frutos de adulterações.
E que essa continuação corrige todas as distorções feitas e acrescenta pontos inexistentes na escrituração do curso primário, pontos que só agora o animal Racional está preparado para assimilar e absorver.
E que essa continuação de tudo e de todas as culturas, se encontra na escrituração Universo em Desencanto, de CULTURA RACIONAL, o curso superior, que deverá ser adotado, indistintamente por todas as instituições, para que todos aprendamos a raciocinar, ou seja, se guiar, sem distorções, pela VERDADE das verdades que é DEUS, o RACIOCÍNIO SUPERIOR A TODOS OS RACIOCÍNIOS e a ENERGIA SUPERIOR A TODAS AS ENERGIAS, o RACIONAL SUPERIOR.
http://www.culturaracional.com.br
http://www.encontroracional.com.br

Read Full Post »

 

Estamos mergulhados num mar de lama, que é a matéria.
O atraso, a falta de conhecimento da vida, fazendo com que valorizemos esse mar de lama como um mar de flores.
E é tão grande essa cegueira (porque todo atrasado, cego é), que invertemos o valor real da vida, tornando-o nossa própria morte.
Numa reflexão sobre os últimos acontecimentos dramáticos na Região Serrana do Estado do Rio de Janeiro, chega-se à conclusão da iniqüidade da nossa civilização.
Uma civilização que se perdeu pelas aparências, civilização essa que foi criada arduamente pela Natureza Mãe, não para exaltação da matéria, mas, sim, para o desprendimento dela.
O ser humano perde sempre, devido à vaidade de se sentir dono de sua vida e do mundo, ao invés de reconhecer sua impotência e nulidade ante a Força Maior, que é a Natureza Mãe!
As águas caíram, como uma avalanche de lágrimas da Força Maior, que é a Natureza Mãe, por se ver obrigada a liquidar seus próprios filhos, que resistem aos seus chamados de atenção para enxergarem além do transitório e passageiro, que é a vida material.
E no mar de lama e de dor em que se transformaram as cidades serranas, lá ficou patenteado o desgosto de uma mãe zelosa, mal entendida, mal compreendida e muito mal amada.
Quantos choros mais serão necessários dessa Mãe Querida, responsável e benfeitora, que é a Natureza, para acordar esses infantes filhos que, incontinentes na idolatria material, ainda se acham no direito de questionar esse desabafo sofredor de uma Mãe que só faz amar, a troco da ingratidão?
Não é hora de pedir socorro!
Não é hora de reclamar, de chorar e muito menos de implorar!
É hora, sim, de pedir perdão à nossa Mãe Querida, que é a Natureza!
Hora mesmo de se envergonhar de tudo de inconseqüente que essa humanidade tem insistido em perseguir, ao invés de investir no amor ao próximo como a si mesmo e fazer o bem sem olhar a quem!
É exatamente aí que se encontra o nosso erro, onde o pensamento e a imaginação, ludibriando-nos através dos sonhos, das fantasias e das ilusões, vão conduzindo, sorrateiramente a humanidade ao culto do artifício e ao desprezo do natural.
A vida é boa, a vida é bela, quando voltada para o engrandecimento do ser e a desvalorização do ter.
Mas, a humanidade, julgando-se merecedora daquilo que não deva ter, cultua a prosa, a aparência, o egoísmo, a ambição e a ganância, passando por cima da VERDADE e alimentando a mentira para regalo de suas conveniências.
E o que é isso?
Atraso.
E o que é o atraso?
Falta de conhecimento verdadeiro da vida, falta de harmonia com a Natureza Mãe.
E quem são os culpados de tanta ignorância e falta de saber?
Os que não fazem caso do conhecimento que já na Terra está, onde, à disposição de todos indistintamente, há 75 anos, a Mãe Natureza vem transmitindo quem somos, de onde viemos e para onde vamos.
Chega desse atraso!
Chega dessa ilusão com tudo que parece ser e não é!
Chega desse encanto!
Acorda, minha gente!
Procurem estudar Universo em Desencanto!
http://www.universoemdesencanto.com.br
http://www.encontroracional.com.br
http://www.nalub7.wordpress.com.br

Read Full Post »


SEM PRECISAR PEDIR
Minha gente, a natureza é de mudanças sucessivas. A própria mudança das estações, o nosso nascimento, crescimento e envelhecimento provam isso.
Assim como nascemos e crescemos e evoluímos, assim é a natureza: um ser vivo, do qual dependemos, pois fazemos parte dela.
Pois, então, procurem observar a natureza.
Ela, essa natureza diversificada, deformada, degenerada e poluída, teve também sua geração, seu nascimento, crescimento e evolução.
O que acontece agora, é que ela alcançou sua fase maior, sua maioridade.
Ela alcançou a fase em que sai da adolescência para sua fase adulta, a fase RACIONAL.
O que isso significa?
Significa que este ser, que é a natureza, está se despindo dos seus procedimentos inconscientes de adolescente, voltados para a matéria, voltando-se para o alto, para o seu lugar de onde saiu: o MUNDO SUPERIOR, a sua origem, o MUNDO RACIONAL.
Desprendeu-se da função unicamente material, visível e invisível, voltada para baixo, função transitória e passageira, onde governava através das irradiações elétricas e magnéticas do pensamento e da imaginação, para se ligar em sua função adulta, de reconhecer e se voltar à sua gênese verdadeira, onde começa sua jubilosa trajetória para retorno à sua origem.
E, assim, passou a ter ação através de sua função, não transitória, função essa de sua própria reconstrução para alcançar a eternidade.
Passou, portanto, a natureza, a raciocinar, ou seja, a saber como voltar à vida eterna.
Ora, sendo nós, gerados, criados, mantidos e governados por ela, somos obrigados por ela, por bem ou por mal, a adotar o mesmo comportamento.
Por bem, procurando compreender e colaborar com ela nessa nova função, aceitando essa nova função com alegria e gratidão.
Por mal, sendo lapidados por ela, levando surras e mais surras até aceitar a nova realidade e, se não aceitarmos, sendo destruídos por ela, para que não sejamos um obstáculo à sua ascensão e retorno à vida verdadeira, a vida eterna.
E assim é que a natureza mudou de fase, da fase do pensamento para a fase do desenvolvimento do raciocínio, a Fase Racional. E nós somos obrigados também a realizar a mesma mudança, cada um em si mesmo.
Mas, como a vontade é livre, os que não aceitarem essa mudança, serão conduzidos às classes inferiores de animais irracionais, classes essas onde esses renitentes pensadores passarão sete eternidades de sofrimentos horríveis, para resgatar a hedionda dívida de não querer aceitar nossa origem verdadeira, seu habitat natural, o MUNDO SUPREMO, Dono ABSOLUTO de tudo e de todos.
Portanto, minha gente, saímos da fase do pensamento e passamos para a fase em que vamos aprender a raciocinar, saindo da fase inconsciente para a fase consciente, a fase onde vamos aprender a resolver, nós mesmos, todos os nossos problemas, através do desenvolvimento do raciocínio.
Mas, para isso, para aprender tudo isso, nossa bondosa Mãe Natureza nos está transmitindo todo esse saber, de verdade das verdades, através dos Livros de Cultura Racional, Universo em Desencanto.
E então, como vamos dar solução a todos os nossos problemas?
Seguindo as orientações que nos são dadas do MUNDO SUPREMO, o MUNDO RACIONAL, nos Livros Universo em Desencanto.
E em seguindo à risca essas magnânimas orientações, nossa função Racional, que está adormecida no centro de nossa cabeça, na mente superior, na glândula pineal, começa, muito naturalmente, sem que percebamos, começa a entrar em ação, ajustando nosso ser às leis naturais da natureza e nos reconduzindo à nossa origem verdadeira, a vida eterna, dos puros, limpos e perfeitos, com seu progresso de pureza.
Mas, antes da entrada da Fase Racional, quando ainda vigorava a fase do pensamento, vivíamos como cegos de olhos abertos, olhando para o mundo e sem conhecer sua causa, sua origem e sua base, olhando para nós próprios e pensando que éramos mesmo animais Racionais, desconhecidos de nós mesmos, sem saber de onde viemos, como viemos, para onde vamos e como vamos. E tudo isso, por desconhecer que tínhamos ainda a desenvolver a parte mais sublime da vida, o ponto fundamental da vida eterna: o raciocínio, onde está toda a solução da nossa vida e da vida eterna.
E por causa desse desconhecimento do nosso verdadeiro ser, o raciocínio, não tínhamos poder algum de solução dos nossos problemas.
Daí, termos vivido, por 21 longas eternidades, a fase de pedintes.
A impossibilidade de resolver nossos próprios problemas nos levava a pedir, a implorar, devido o grande sofrimento que essa falta de sabedoria nos causava e ainda causa a todos que ainda estão pensando.
E, assim, pedíamos, rezávamos, implorando aos santos, a forças do campo espiritual para nos valer ou nos dar um paliativo para tantos sofrimentos. Até promessas fazíamos, cujos cumprimentos muitas das vezes nos traziam grandes sacrifícios morais, físicos e até financeiros.
E as milhares de novenas pedindo socorro! Quanta lapidação, para hoje resultar nesse mundo completamente desequilibrado, onde a violência, o desrespeito, o terror, as guerras e as doenças fizeram morada, sem contar as tragédias naturais, que ceifam vidas preciosas.
Mas, como éramos cegos de olhos abertos, não sabíamos resolver nós próprios os problemas por nós mesmos criados, pois éramos guiados pelo pensamento inconsciente. Portanto, tudo isso foi muito válido para amenizar nossa dor temporariamente e nos acalmar na esperança de dias melhores.
E, assim, só sabíamos pedir, implorar, porque ainda não havia chegado a Fase Racional, vigorava a fase do pensamento, e o pensamento nos fazia de ferramentas para criar o nosso próprio sofrimento.
Mas, felizmente, chegou a Fase Racional e, com ela, terminou a fase espiritual. Na fase espiritual, as forças a ela pertinentes contemporizavam e amenizavam nossas aflições, já que soluções definitivas também não tinham, porque essas forças espirituais também não se conheciam, tal como nós, e não conheciam a origem do tudo existente, atribuindo tudo a mistérios de DEUS.
Quando sabemos que DEUS VERDADEIRO é VERDADE e onde existem mistérios, não existe a verdade e não existe DEUS, porque DEUS é a SABEDORIA ABSOLUTA, não tem mistérios.
Portanto, com a entrada da Fase Racional, a fase consciente e positiva, a fase de retorno à eternidade, precisamos e necessitamos sair da condição de pedintes, porque já está na Terra a solução de todos os nossos problemas, dos nossos negócios e de nossas vidas, pelo desenvolvimento do nosso raciocínio, nos Livros de Cultura Racional, Universo em Desencanto.
Somente o que falta agora é todos nós nos conscientizarmos disso e de que já estamos em plena fase de aparelhos Racionais, bastando apenas que providenciemos a ligação dos nossos aparelhos à energia da Nova Fase, a ENERGIA RACIONAL, para começarmos a aprender a resolver, nós mesmos, todos os problemas de nossas vidas, criados por nós mesmos, como robôs do pensamento e da imaginação, essas duas energias de função única de lapidação e destruição e, não, de salvação.
Essa condição superior de consciência positiva Racional, que torna possível nossa libertação definitiva de escravos do pensamento e da imaginação, será muito naturalmente adquirida, apenas no estudar e reestudar os Livros de CULTURA RACIONAL, Universo em Desencanto, tornando-nos poderosos para conosco mesmos, por nos tornar aptos a resolver todos os problemas de nossas vidas. Aí passamos de viventes pedintes a viventes eternamente gratos.
Na medida em que nosso raciocínio vai se desenvolvendo, todas as orientações precisas e necessárias para o nosso equilíbrio moral, físico e financeiro, serão transmitidas pelos Habitantes do MUNDO RACIONAL e pelo RACIONAL SUPERIOR, por estarmos ligados à ENERGIA RACIONAL, que é a energia do VERDADEIRO DEUS.
Quanto mais horas a pessoa estuda a CULTURA RACIONAL, mais ligada se torna à ENERGIA RACIONAL, e mais orientações certas e definitivas dos seus problemas essa pessoa passa a receber. Até que, depois do raciocínio completamente desenvolvido, a pessoa se desliga completamente dos grilhões da matéria, em vida, deixando de ser robô do pensamento e da imaginação e passando a ouvir a voz do raciocínio, dentro de sua cabeça, dia e noite e noite e dia.
E essa voz do raciocínio é completamente diferente da voz do pensamento. A voz do pensamento é pesada feito um bate estaca, chega e fica batendo forte no cérebro.
Muitas das vezes queremos nos livrar do pensamento e não conseguimos, por ser uma atuação muito pesada, tão pesada e maléfica e tão perturbante, que faz com que muitas pessoas não consigam dormir.
Agora, a voz do raciocínio é leve, suave, nos acalma, nos equilibra e nos dá paz!
E para ouvirmos a voz do raciocínio, é preciso que estejamos em dia com a leitura dos Livros Universo em Desencanto.
E assim, Amigos, pelo exposto, fica esclarecido o porquê que nesta fase em que vivemos, a FASE RACIONAL, não adianta pedir e, muito menos, implorar. Pois, tudo que precisamos e necessitamos nos é dado pela Natureza, muito naturalmente, desde que façamos por onde. E o fazer por onde se resume no estudo diário da solução que já nos foi transmitida por nossa Mãe Natureza, e que essa solução se encontra nos Livros de CULTURA RACIONAL, Universo em Desencanto.
Estando em dia com o estudo de CULTURA RACIONAL, estaremos aptos a captar com fidelidade, todas as orientações que a Natureza está transmitindo em todas as cabeças para a paz, a saúde e o equilíbrio geral de todos.
Mas, como muitos se renegam a se conhecer pela CULTURA RACIONAL, não tem acesso a essas orientações. E, por isso, continuam a pedir e a implorar em vão, porque essa fase de pedintes encerrou com o término da fase do pensamento, ficando o pensador sem ter com quem contar nem onde se agarrar, num “salve-se quem puder e se puder”, razão de uns contra os outros e destruindo uns aos outros, que é o que mais se observa nos dias de hoje, porque querem continuar pensando, na fase do desenvolvimento do raciocínio. E, aí, ficam contra a fase em vigor na natureza, a Fase Racional, entrando em liquidação e perdendo o direito de viver.
É, pois, necessário e urgente assumirmos, com firmeza, a nossa condição de Racional e sairmos da condição de pedintes.
Racional é consciente, sabe que não adianta pedir, porque tudo vem no seu tempo certo.
E o tempo certo é aquele em que a pessoa já se encontra devidamente amadurecida RACIONALMENTE para receber isso ou aquilo sem se desequilibrar moral, física ou financeiramente.
Mas, se pelo costume de pedir, não conseguimos ficar sem pedir, então peçamos:
sabedoria para sabermos viver bem com nossos irmãos;
sabedoria para promover a união, o amor, a paz, a fraternidade e a concórdia universal;
sabedoria para que a gente consiga ver, ouvir e calar;
finalmente, sabedoria para entender as orientações que nossa Mãe Natureza nos transmite, através de nós mesmos ou de terceiros, mas que, na maioria das vezes, deixamos passar sem perceber, por não termos sabedoria suficiente para ouvir a voz do nosso raciocínio.
Enfim, vamos pedir sabedoria para que saibamos viver racionalmente, na certeza de que alcançaremos tudo que precisamos no devido tempo, sem precisar pedir.
Colaboração de Wilma Fernandes, Rio – RJ
http://www.universoemdesencanto.com.br
http://www.encontroracional.com.br
http://origemverdadeira.blogspot.com
http://nalub7.wordpress.com

Read Full Post »

 

supermolduras2009092701k

Se nos detivermos à pesquisa sobre o significado de família, qualquer que seja a fonte, vamos encontrar uma infinidade tão grande de conceitos e definições, que encontraremos dificuldade de sintetizá-la numa pequena frase.
Isso se justifica pela diversidade de opiniões que cada qual tem a respeito não só da família, como a respeito das demais coisas.
É… somos todos diferentes.
Diferentes, sim, enquanto tivermos como base de referência os valores aparentes que cada um de nós acumulou, pelas experiências, de gerações a gerações.
E podemos confiar nas experiências?
Ora, quem é levado a experimentar, prova, com esse comportamento, que não tem o saber verdadeiro.
A falta do saber verdadeiro é que tem levado a humanidade a buscar, nas experiências, uma forma acertada de existência.
E assim vivemos por milhões de anos: buscando, pesquisando, experimentando sem base e sem lógica e repassando essas experiências. E, por isso, acertando e desacertando, desacertando muito mais que acertando.
Tudo isso sendo orientados pelo pensamento e a imaginação. Pensando e imaginando ser o que não é: e adotando. Criada, assim, foi a cultura que toda a humanidade conhece e adota para sobreviver. Uma cultura artificial.
E, por assim ser, fruto do pensamento e da imaginação, não conseguimos atingir, com essa cultura artificial, a forma real da existência – existindo sem saber por que existimos. Vivendo, sem saber por que vivemos.
Cada qual vivendo como acha que deva de viver.
Daí, a confusão crescente, em progressão tão assustadora, que tem levado todas as instituições à desagregação.
Pois, onde cada um pensa diferente, os objetivos também são diferentes. E onde os objetivos são diferentes, ninguém chega à conclusão do seu ideal, por sermos seres absolutamente dependentes de tudo e de todos.
E então, ninguém chega à conclusão de coisa alguma, caminhando cada um sozinho, sem ter com quem contar para alcançar seu objetivo e não colaborando com ninguém para que esse alguém também alcance o seu objetivo, diferente de todos os demais.
Resumindo: bilhões de pessoas, cada qual caminhando sozinho para um objetivo só seu, fruto da sua imaginação, objetivo esse fruto de suas experiências pessoais sem base e sem lógica.
Assim caminhando, onde cada qual vai chegar? Simplesmente não vai chegar, porque todos precisam de tudo e de todos para alcançar qualquer objetivo.
É aí que passamos a entender melhor a desagregação pela qual estão passando todas as instituições, mas, principalmente, a instituição familiar, nascedouro de todas as demais. Essas desagregações desequilibram todos e, inclusive, a natureza, que é quem acolhe tudo e todos. Nossa mãe natural.
Entendamos melhor isso. Se nossos filhos estão desequilibrados, de alguma forma nós nos desequilibramos também. E para que as coisas se harmonizem no lar, quanta providência é preciso, quanta luta, quantos puxões de orelha, quantas repreensões, quantos castigos são necessários para que nossos filhos retornem ao equilíbrio!
Pois é, nessa nova fase do Terceiro Milênio por que passa o mundo em que vivemos, com tanta tragédia, tanto desequilíbrio e tanto sofrimento, está acontecendo neste mundo o mesmo que acontece dentro de cada lar constituído por nós seres humanos.
O mundo em que vivemos é o nosso lar, provisório, mas, é. Nossa mãe natural é a Natureza. E nós seus filhos desequilibrados.
Essa mãe, a Natureza, é a mãe natural, porque nos adotou como filhos. E filho adotivo dá trabalho dobrado, por ter natureza diferente da natureza de sua mãe.
E porque somos filhos adotivos? Porque estamos separados da nossa família verdadeira, o que nos torna inconformados e insatisfeitos, por ter que viver de acordo com uma natureza da qual nosso EU verdadeiro não faz parte.
Nossa parte aparente, bruta, material, pertence à Natureza que nos gerou, criou, mantém e governa. Mas, nosso EU verdadeiro, interior, não pertence a ela.
Ficar longe da família verdadeira dá é nisso: desequilíbrio de um modo geral, porque uma pessoa insatisfeita, nunca está equilibrada.
Para ver, como é fundamental em nossas vidas conhecer de onde viemos, como viemos, para onde vamos e como vamos, enfim, conhecer nossa família verdadeira, nossa origem verdadeira.
Enquanto cada qual não procurar se cientificar disso, todos continuaremos desequilibrados, entrando em atrito uns com os outros, os atritos gerando conflitos, esses conflitos gerando o terror, o terror gerando as guerras e as guerras gerando a mortandade. E é o que estamos assistindo em nosso cotidiano.
É vital SE CONHECER, vital para toda a humanidade e para a Natureza.
Nós bem que tentamos constituir uma família. Mas, orientados e governados por uma Natureza que não é a nossa natureza verdadeira, que não corresponde ao nosso verdadeiro SER, não poderíamos mesmo ser bem sucedidos.
Por quê?
Porque nossa mãe natural, a Natureza, a quem devemos tudo e a quem devemos ser gratos por tudo que nos tem dado, é uma natureza bi polarizada, uma natureza dual, sendo que o nosso SER VERDADEIRO tem pólo único e divergente dos dois pólos em que ela está constituída.
Nossa mãe natural é elétrica e magnética. E o nosso SER verdadeiro é RACIONAL.
Nossa mãe natural tem uma origem. E nós temos outra.
E quando todos passarem a se conhecer, dar-se-ão conta que, na verdade, nossa mãe natural, a Natureza, veio do mesmo mundo ao qual pertencemos, mas, que constituía uma parte que ainda não estava na mesma evolução que mantínhamos em nossa originalidade.
E assim sendo, ela, a mãe Natureza, na verdade, é nossa irmã e que nos tem criado como filhos. Daí o porquê da sua, também, insatisfação, por estar fora do seu natural.
Assim, o conceito de família precisa ser revisto. Família é aquela que ainda estamos sendo preparados para constituir, quando todos passarem a SE CONHECER, sabendo de onde viemos, como viemos, para onde vamos e como vamos, tendo todos UM SÓ OBJETIVO: o retorno ao nosso verdadeiro mundo de origem.
A nossa Mãe natural, a Natureza, que na verdade é nossa irmã, já tem conhecimento disso tudo: de onde veio, como veio, para onde vai e como vai. Mas, não pode retornar à Casa Paterna, porque está impedida de fazê-lo devido às responsabilidades de gerar, criar, manter e governar essa filharada imensa que adotou, que é toda a humanidade.
E, por isso, está transmitindo a todos nós o que passou a conhecer, para que também passemos a NOS CONHECER.
Passando a NOS CONHECER, teremos condições de nos ligar, em vida, à nossa origem verdadeira, a Casa Paterna, ficando por conta do nosso verdadeiro mundo, o MUNDO RACIONAL, e liberando nossa Mãe/Irmã de nossa quase eterna adoção, para que ela retorne também ao mundo de onde viemos.
E assim fazendo, reconstituiremos ambos, Mãe Natureza e nós, finalmente, a família perfeita que sempre fomos, antes de ser o que somos, jubilosamente governados, por nosso Pai Verdadeiro, o RACIONAL SUPERIOR.
E quem não quiser dar ouvidos ao que nossa Mãe natural está transmitindo, vai ficar de castigo, por sete eternidades, nas classes inferiores de animal irracional, porque a Natureza é de transformações.
As provas e comprovações, detalhadas e minuciosas de tudo isso, todos nós encontramos na cultura natural da Natureza, a CULTURA RACIONAL, dos Livros Universo em Desencanto.
Portanto, família, é uma só, RACIONAL.
Por quê?
A resposta é encontrada no estudo desses grandiosos Livros de CULTURA RACIONAL, Universo em Desencanto.
Colaboremos com a família, com a nossa família verdadeira, a família RACIONAL, nos inteirando e nos certificando de tudo isso que aqui foi dito.
Não viremos as costas para o nosso Pai Verdadeiro, o RACIONAL SUPERIOR, nem fechemos nossos ouvidos para nossa Mãe/Irmã Natureza, ela já sofreu demais com nossa adoção.
Estudemos UNIVERSO EM DESENCANTO!
RACIOCINEMOS!
Só assim voltaremos a ser o que sempre fomos e que sintetiza o que é família: RACIONAL!
http://www.universoemdesencanto.com.br
http://www.webradio.universoemdesencanto.com.br
http://www.programaavozracional.com.br
http://www.boanoitebrasilracional.blogspot.com
http://www.encontroracional.com.br

Read Full Post »

 

A pessoa que não se conhece, se destrói.
Por que?
Porque quem não se conhece, não sabe de onde veio, para onde vai e nem como vai.
Não sabendo de onde veio, vive em contradição com sua origem, com sua gênese verdadeira, vive em desacerto, vive contra o que é certo, que é a origem de tudo e de todos, DEUS.
E quem vive contra DEUS, não tem com quem contar nem onde se agarrar.
E não tendo com quem contar nem onde se agarrar, vive sem orientação positiva consciente, a orientação precisa e necessária para se engrandecer e se elevar a DEUS.
E não se engrandecendo, nem se elevando, vai se tornando cada vez mais insignificante, se rebaixando aos olhos da instância SUPERIOR, do Mundo Superior.
E assim se tornando, vai se reduzindo, se reduzindo, até ao nada se tornar, perdendo todas as forças para se conduzir acertadamente na vida.
E sem se conduzir acertadamente na vida, vive de cabeçadas em cabeçadas, sem saber onde vai parar: não sabe para onde vai e muito menos como vai.
Para ver como a coisa mais importante da vida é o passar a se conhecer.
A vida da matéria é ingrata, maltrata sem dó e sem piedade quem vive sem se conhecer, por que?
Porque a matéria nada é. E o que nada é, nada tem a dar a ninguém, a não ser o sofrimento.
Quem se ilude com as fantasias da matéria, com as ilusões da matéria, com os bens materiais, com este presépio encantador de matéria, fica reduzido à matéria, sem ter nada para se valer e para valer aos demais: torna-se uma vida perdida! Uma vida sem valor algum.
E por ser uma vida perdida, uma vida sem valor, não tem conceito algum junto à natureza, passa a pertencer à fase de liquidação da natureza, liquidação moral, física e financeira.
Não é isso que estamos assistindo no mundo inteiro?
Destruição pavorosa e horrorosa de grandes e pequenos, de graúdos e de miúdos, independente de raça, de sexo, de instrução e de preferência filosófica e científica, porque a maioria esmagadora vive desconhecida de si mesmo.
Destruição de todos que não se conhecem e que não se interessam em passar a se conhecer.
E por viverem desconhecidos de si mesmo, continuam apegados à matéria, como se a matéria tudo fosse, apegados à cultura materialista, à cultura artificial criada e desenvolvida por seres que nunca souberam de onde vieram e para onde vão, uma cultura sem base, sem lógica, sem provas e sem comprovações, que mantém os mistérios, os fenômenos e os enigmas.
Uma cultura que cultua as aparências, sabendo todos que aparências não são verdades.
E aparência por não ser verdade, mantém a mentira, a mistificação, a ilusão, os sonhos, as fantasias para ludibriar e trair todos que valorizam e cultuam essa cultura do nada ser, prometendo a todos, que nela se baseiam, um mar de rosas e de perfumes.
E na esperança desse encontro de rosas e perfumes, ficam todos embriagados, fanatizados, magnetizados, não enxergando o verdadeiro mar que os espera, que é um tenebroso mar de espinhos.
Por isso, não existe coisa mais triste na vida do que o viver desconhecido de si mesmo!
A pessoa sabe que não existe efeito sem causa, mas, magnetizado e enfeitiçado por essa esperança, perde completamente o bom senso, o discernimento e não consegue admitir o caminho de sofrimento a que está sendo levado por essa esperança.
Quem sabe não tem esperança. Porque enxerga e compreende o passado, o presente e o futuro, sabendo, com consciência positiva o que tem e o que não tem que fazer para concluir sua felicidade.
Procura se conhecer para saber se valer, porque se não se conhecer, não saberá dar um passo sequer que não resulte em sofrimento.
E é por isso que ninguém, ninguém mesmo, é culpado do sofrimento de ninguém.
Cada qual cava seu próprio infortúnio ou felicidade, tudo dependendo do SE CONHECER.
E como se conhecer?
Muito simples, basta estudar a cultura natural da natureza, pois, só mesmo a natureza que nos gerou, criou, mantém e governa tem condições de nos dizer quem somos, de onde viemos e para onde vamos.
E por que a natureza não nos disse isso há mais tempo?
Porque a cultura dela ainda não tinha chegado à Terra.
E por que não chegou há mais tempo?
Porque estávamos sendo preparados para saber a verdade, éramos rudes demais e não teríamos aceitado a verdade.
Assim como uma criança não está preparada para saber tudo que é do conhecimento de um adulto.
Tivemos várias fases na Terra, fases de monstros, de selvagens, de civilizados e agora, na fase atual, a Fase Racional do Terceiro Milênio, é que existem pessoas já preparadas para se inteirar da verdade. E mesmo assim, muitos ainda nem civilizados estão. Esses, que ainda não estão civilizados, vão demorar ainda muito tempo para estar preparados, ou não terão tempo de se preparar.
Mas, tudo depende da própria pessoa, do esforço, do capricho e da vontade de se conhecer: isso é que determina ter tempo ou não de se preparar.
E afinal, onde se encontra esta cultura salvadora, que coloca fim na inconsciência humana, levando todos a se conhecer?
Ela é encontrada nos Livros Universo em Desencanto, os Livros que nos revelam quem somos, de onde viemos, para onde vamos e como vamos, colocando fim neste encanto, neste feitiço ludibriador material, que trouxe toda a humanidade até aqui, de canto chorado.
Todos devem procurar se conhecer para saber se valer, pois, somente se conhecendo a pessoa começará a raciocinar, passando a ter com quem contar e onde se agarrar.
Contar com quem?
Com os Habitantes do MUNDO RACIONAL, nosso Verdadeiro Mundo de Origem.
Se agarrar com quem?
Com o RACIOCÍNIO SUPERIOR a todos os raciocínios, DEUS verdadeiro, o RACIONAL SUPERIOR.
Sabe lá o que é contar com o MUNDO SUPREMO, dia e noite, noite e dia?
Sabe lá o que é contar com DEUS verdadeiro, dia e noite, noite e dia?
É o ENCONTRO RACIONAL, o encontro consigo mesmo. Passando nossa vida a ser um mar de rosas ao invés de um tenebroso mar de espinhos.
Procure se conhecer, pelo desenvolvimento do raciocínio!

http://www.universoemdesencanto.com.br
http://www.webradio.universoemdesencanto.com.br
http://www.programaavozracional.com.br
http://www.boanoitebrasilracional.blogspot.com
http://www.encontroracional.com.br

Read Full Post »

 

A FASE DA RACIONALIZAÇÃO
QUE FASE É ESSA?
I PARTE
Salve pessoal!
Ultimamente, as pessoas que lêem postagens de divulgação Racional, têm perguntado,
insistentemente, sobre este assunto: “A Fase da Racionalização”. Diversas questões têm sido formuladas querendo saber mais sobre quando será isso e de que forma poderá se viabilizar neste Mundo, tal Fase. Querem saber quando vai começar e de que forma isto se concretizará entre os Povos.
Buscando repassar um pouco mais dessas noções sobre os andamentos do novo conceito evolutivo natural da Natureza, tendo sempre por referência as interpretações até aqui feitas dos estudos do conteúdo dos livros de Cultura Racional; então vejamos o que segue.
Observamos pela narrativa da Cultura Racional que, desde o princípio da existência humana numa Natureza de transformações, já estava montado todo um Plano Estratégico visando o nosso retorno ao nosso estado de ser natural verdadeiro.
Então, uma pergunta comumente feita tem sido esta: “Ué! A gente sendo ‘Ser Humano’, cada qual que assim é, já não está em nosso verdadeiro estado natural de ser?”.
A Cultura Racional a respeito desta questão, ela nos diz que devemos nos reportar ao antes da existência de tudo que existe. A classe de animal Racional ela existe. Mas, é preciso considerar o antes de ser animal Racional, o que era. E era corpo Racional em extinção. Era a classe de Racional que vinha perdendo virtudes de sua formação corpórea e degenerando.
Então, ao final daquela degeneração, deu-se a extinção. E dali foi que veio a transformação da classe extinta de Racional para a classe de animal Racional. A extinção do corpo Racional em cima de quando era o início da formação da primitiva matéria, fez com que uns tantos Seres que saíram do Mundo Racional progredindo por conta própria, perdessem a vida de Racional. Ou seja: não houve o extermínio da vida e sim, a extinção forma de ser de Racional, que é a forma corpórea do verdadeiro natural de ser. Foi, portanto, uma extinção que se deu fluidicamente.
Dali foi que surgiu o Projeto Ser Humano. O princípio da formação do Ser Humano que, tinha forçosamente que passar pela origem verdadeira, ou seja: o principiar da existência dessa formação de um corpo humano. Mas, o propósito era o seguinte: “dar prosseguimento à vida Racional, devido à extinção de todos aqueles corpos; uns tantos deles, em cima da massa da Planície Racional e outros tantos, em cima da Resina expelida pela Planície”.
Nada, daquelas Eras, era como é agora, nesta Natureza hoje deformada de todo. Ali era o principiar de toda esta deformação em transformações. E esta é uma informação que interessa indistintamente a todo e qualquer Ser Humano, a cada um de nós; pois a narrativa dessas passagens, diz respeito diretamente à origem do seu Ser, de nosso Ser. Por isso, vamos nos debruçar um pouquinho mais sobre este esclarecimento do que somos. O que somos? Um Racional, cada qual o é; mas, com forma de animal.
Olhe que estamos falando aqui de dois aspectos da maior importância. Um deles é a razão de o porquê desta vida; e, o outro é: o porquê esta vida, a vida da matéria, termina num abrir e fechar de olhos, numa breve duração. A resposta é que “esta não é a verdadeira vida; e sim, a vida Racional o é.”. E vamos prosseguir na 2ª Parte.

Read Full Post »

Older Posts »