Feeds:
Posts
Comentários

Archive for the ‘União e concordia universal’ Category


A grande mentira da vida é a própria vida das aparências, onde tudo parece verdade, mas tudo se acaba, tudo se transforma em outra coisa. E sempre se transformando em coisa menor.
Essa é a realidade que ninguém quer encarar. E quem não quer encarar a realidade vive de mentiras, vive de aparências, vive de ilusões. Aparências e mentiras são da mesma categoria na causa da infelicidade.
Não se podem dizer felizes, aqueles que vivem se enganando com aparências, se enganando com mentiras e achando que estão certos. Essa é a essência do encanto. Todos encantados por todos viverem de aparências de mentiras chamando isso de sonho que não se realiza. Sonho de mentiras.
Que loucura de mau senso! Que loucura desse povo que ainda teima viver no encanto. O encanto é o mundo da mentira. Feliz dia da mentira para todos que vivem e sobrevivem dela.
Quando as pessoas querem mudar de vida é porque elas querem ser melhores. Procuram, procuram e nunca desistem. A grande questão é: procurar aonde? Aonde procurar?
Querer mudar de vida, lamentavelmente, pode induzir as pessoas à vida de sonhos. E sonhar não é a melhor opção, principalmente quando o sonho não tem limites; e o que não tem limites acaba muito mal, porque está fora da lei, fora dos limites naturais.
Querer mudar de vida é buscar dentro da realidade toda e qualquer possibilidade que tenha acesso – nunca um sonho, nunca um gosto ou mania ou fantasia; querer mudar de vida é fazer por onde alcançar! É buscar dentro de uma realidade que muitos às vezes não enxergam, mas quem quer mudar de vida enxerga essa realidade.
Não falo de uma nova realidade, falo da realidade eterna, a realidade de sempre. Esta é a grande virtude da Escrituração Racional. Possibilitar a todos que desejam mudar de vida, enxergar a vida pelo ponto de vista da realidade eterna.
Nos ensina o Racional Superior: “Diante da IMUNIZAÇÃO RACIONAL não nascerão mais aí, e sim, em vez dos corpos tornarem aí a nascer, vão nascer na parte Racional. A Imunização vai tratando de transportar as sementes, que são a origem desses corpos, para a parte Racional e cá, então, formando outros corpos muito diferentes desses, na grande planície cá em cima, muito além do sol, onde estão os Racionais com o seu progresso de pureza, muito diferente desse; e na Escrituração vão saber tintim por tintim”.
Está aí o apanágio, a apoteose do Animal Racional. Mudar de um mundo inferior para um mundo superior, sem sofrimento e sem dor e nem tem que pegar nenhum disco voador, nem nave espacial, nem nenhum aparelho artificial.
Para conduzir a humanidade ao Mundo Racional, como diz o Racional Superior, a grande Planície lá em cima, ele também nos esclarece que já estamos todos equipados pela própria natureza com um aparelho original – é o Aparelho Racional.
Dirão alguns: -“isso tudo é depois da morte, não é mesmo? Uma coisa dessas, de mudar para outro mundo, só pode acontecer depois da morte!”
Pois é justamente ao contrário! Depois da morte o aparelho estará desativado e nada poderá ser feito neste sentido. Este Aparelho Racional, querendo dizer aparelho da verdadeira origem, tem sete “turbinas”. É um aparelho turbinado com sete partes para projetar a Energia Pura que está deformada dentro do calor além acima de todos os astros numa velocidade muito maior que a velocidade da luz.
Com este aparelho desenvolvido será feita toda a comunicação necessária com qualquer parte do Universo e do além universo – podemos resumir este estado de vida como sendo a integração completa do ser humano com a Natureza e com a origem de tudo e de todos, o Mundo Racional.
Uma turbina em cada parte do universo, que são as sete partes orientadas e direcionadas pela Imunização Racional e programadas para conduzir todos de volta à grande Planície de onde tudo e todos desceram. São as sete partes do por que assim somos: sol, lua, estrelas, água, terra, animais e vegetais. E que estas sete partes estão representadas em nosso corpo material sob a forma de Aparelho Racional.
O nosso corpo de matéria, com suas sete essências, é um Aparelho Racional. É como pegar sete órgãos alinhados em uma única estrutura de energia. Apenas para dar uma referência deste alinhamento, os gurus do oriente já demonstraram que é possível desenvolver esta linha de energia que foi batizada como “kundaline”. Isso, na linguagem do oriente.
A grande questão é que para se desenvolver essa energia em linha, ou kundaline, usando o pensamento ou com a meditação transcendental, é quase impossível. Apenas alguns grandes mestres do assunto é que descreveram ter alcançado esse estado de alinhamento energético.
Então, isto é apenas uma referência de comprovação. O Aparelho Racional é natural. E o que é natural não precisa de esforço para alcançar. É tudo uma questão da Energia em que está ligado.
Essa é a realidade que muitos ainda não conhecem. É a ligação da energiacerta! Qualquer aparelho precisa de energia para funcionar. Se estiver ligado numa energia errada entra em curto.
E o ser humano, a exemplo do sol que nos gerou está em curto, enquanto na classe de animal racional. Esse foi o principal motivo de toda infelicidade que vai pelo mundo. Porém, foi preciso e necessário para haver o desenvolvimento.
O Aparelho Racional é a essência que nos dá o sentimento nas sete partes do nosso corpo.
O sentimento não está apenas na mente, o sentimento está na energia essencial que compõe estas sete partes de nosso organismo; a gente sente com o corpo todo, notadamente no coração. O sentimento reside predominantemente no coração que assim representa o Sol em nosso organismo.
Sem o coração não há cérebro, sem o cérebro não há comunicação. Nada é independente.
Sem a parte cerebral, o coração não “vê a Energia” e não poderá sentir. O sentimento está
em nosso corpo, mas na glândula pineal, dentro do cérebro, está uma peça que monitora toda a atividade de comunicação deste aparelho e que é capaz de “ver a Energia” em todos os níveis. A glândula pineal funciona como a antena da comunicação com os supra-mundos e com os infra-mundos, inclusive com a Grande Planície que está lá em cima.
Na glândula pineal está materializada a Energia do Habitante do Mundo Racional.
Nesta comunicação do Aparelho com o Mundo Racional, reside todo o fundamento dessa transição de um corpo de matéria elétrica e magnética se transformar, em vida, em um corpo de matéria de Energia Racional.
O corpo de matéria elétrica e magnética é a casca grossa dessas sete partes alinhadas e ligadas à fonte de energia elétrica e magnética. São as sete partes encantadas pelo obscurantismo, proporcionando um lazer de ignorância, de aparências e de eternas insatisfações.
Por isso o sete é conta de mentiroso.
O corpo de matéria de Energia Racional é a mistura fina das mesmas sete partes alinhadas e ligadas à fonte de Energia Eterna, a Energia Racional, do nosso verdadeiro Mundo de Origem – é o corpo de matéria essencial, ou corpo das sete essências desencantadas, com toda a verdadeira solução da vida, que é retornar ao seu estado original.
Relembrando que esta mudança de organização das sete partes grosseiras para as sete partes essenciais é feita em vida, durante a vida deste corpo de matéria ou, melhor, dizendo, durante a vida deste aparelho.
Quem lê o Livro Universo em Desencanto, ou até mesmo na simples menção de pegar este livro, já induz seu aparelho Racional à ligação com a Energia Racional, por ser este um fator natural. É como o sol que alumia a todos, mesmo que nunca tenha estudado Astronomia.
Fácil assim!
Esta comparação é apenas para nos lembrar que o desenvolvimento deste Aparelho Racional, que é o corpo essencial do nosso corpo de matéria, será alcançado muito naturalmente e em vida, porque foi feito para ser assim. Desenvolver-se Racionalmente é como que “chover no molhado”; já é, não vai ser.
Naturalmente, para haver o desenvolvimento do Aparelho, primeiro precisa desenvolver o Raciocínio para desencantar da massa grosseira que nos envolve. É preciso tirar a “casca grossa” dos pensamentos ilusórios e artificiais que nos afligem e nos causam sofrimento e dor. É preciso primeiro conhecer a realidade como ela é, pelo desenvolvimento cultural do raciocínio.
Está aí a principal finalidade da leitura do livro Universo em Desencanto – desenvolver o raciocínio culturalmente, combatendo as falsas idéias ou falsos ideais da matéria e admitindo em si o verdadeiro ensinamento da vida.
Idéias se combatem com idéias, porém jamais poderemos ser contra os ensinamentos.
Racional é a favor de todos os ensinamentos, porém, há que se combater as falsas idéias criadas pelos ensinamentos mal assimilados. Isto é uma forma inteligente de ver o desenvolvimento do raciocínio.
Por ser inteligente, é que este desenvolvimento propicia o verdadeiro avanço para começar a desenvolver o Aparelho Racional e, como conseqüência natural destes dois progressivos desenvolvimentos, do raciocínio e do aparelho, advém o evento da Vidência Racional.
Raciocínio desenvolvido, aparelho desenvolvido, surge a Vidência Racional, vendo tudo que era invisível ao corpo de matéria, não apenas as formas invisíveis, como também a Energia que constitui tudo e todos os seres deformados e a Energia Eterna.
Aí estaremos todos, que quiserem mudar de vida, no fim da transição deste corpo de matéria para a vida Racional, começando, então a grande jornada de retorno ao nosso Mundo de Origem, que é o desenvolvimento da desmaterialização da energia da glândula pineal feita pela Imunização Racional.
Antes disso, poderemos nos contentar com uma atraente clarividência dos fatos que estão ligados à Energia Racional. São as intuições e orientações que nos acodem em diversos momentos desta vida material. Intuições positivas, orientações naturais para a manutenção do necessário e para a manutenção deste corpo de matéria que está sendo recuperado da massa falida, em transição para um mundo melhor, o Mundo Racional.
(Colaboração do Prof. Porfírio J. Neves
Rádio Tropical 830 AM – RJ
http://www.programaavozracional.com.br)
http://www.culturaracional.com.br
http://www.encontroracional.com.br

Read Full Post »

 

Minha Gente muito Querida!
Um ditado muito antigo e muito certo diz o seguinte: “O saber não ocupa lugar”.
E sabem por que o saber não ocupa lugar? O saber não ocupa lugar porque é um conjunto de conhecimentos. E os conhecimentos, por sua vez, são energias que vibram em várias dimensões. E energia ninguém vê, energia não ocupa espaço.
E tendo como base isso que acabamos de falar, podemos conceituar Cultura de uma forma bem simples e que engloba todos os conceitos de cultura que a gente conhece ou que estão disponibilizados em dicionários e enciclopédias.
Podemos assim simplificar a cultura: como um conjunto de conhecimentos inerente a cada ser, correspondente à dimensão ou dimensões a que este ser está ligado.
E como cada ser é aquilo que se determina pelo uso do seu livre arbítrio e considerando que o bom ou mau uso do livre arbítrio é que direciona nossa ligação às dimensões existentes, podemos então concluir que cada um tem a cultura que fez por onde merecer.
O mundo em que vivemos, por ser um mundo deformado, fora de seu natural, está sempre em transformações. Nessas transformações, por ser um mundo deformado, vão surgindo novas dimensões, sempre com vibrações inferiores.
Isso é que leva os animais Racionais à instabilidade. Ligados à matéria, sofrem as influências dessas transformações sempre para pior.
Tudo isso dito, vamos entender um pouco mais sobre a cultura artificial filosófica e científica, a cultura primária, ainda adotada nos dias de hoje.
Para entender a necessidade da existência dela vamos lembrar aqui um ponto importantíssimo: nossa origem.
Éramos seres Racionais puros, limpos e perfeitos, de massa cósmica pura limpa e perfeita, eternos. Portanto, nossa vibração energética correspondia a um saber eterno.
Saímos do nosso habitat, por livre arbítrio, entrando num outro plano de vibração eterna, mas, ainda em formação e, por isso, sem progresso de pureza.
Perdemos todas as nossas virtudes e nos materializamos em cima dessa parte onde adentramos, parte essa que, por sua vez, transformou-se do que era para um conjunto elétrico e magnético.
Nosso ser eterno Racional materializado, sem suas virtudes e fora do seu natural, deu causa a duas máquinas elétricas e magnéticas, pensamento e imaginação, para servir de interação com o novo mundo a que passamos habitar.
Essas duas máquinas, para que fizessem o corpo (que se formou na matéria) funcionar neste novo mundo, tiveram um trabalho árduo e de muitas eternidades. Era preciso uma cultura provisória para estes seres provisórios, que, devido à perda de virtudes, saíram da dimensão suprema e passaram a viver na dimensão mais baixa, a matéria.
O ser Racional, envolvido pela matéria, sem ligação com sua dimensão vibratória natural, o MUNDO RACIONAL, ficou com sua função inativa.
Assim, os seres elétrico e magnético materializados como máquinas do pensamento e da imaginação, é que então teriam que ser desenvolvidos e lapidados, até que alcançassem vibrações semelhantes à do SER RACIONAL.
Neste ponto, então, não teriam dificuldades de aceitar uma cultura superior, que enfim chegaria para finalmente ativar a função do SER RACIONAL.
E assim foi que surgiu a necessidade da cultura primária, artificial, filosófica e científica, feita de acordo com as vibrações do campo invisível da matéria, elétrico e magnético, que seria o responsável pela criação dessa cultura na Terra, através de suas ferramentas, os animais Racionais.
Só mesmo um SER SUPREMO, teria essa capacidade de transmitir ao ASTRAL INFERIOR, através do ASTRAL SUPERIOR, um conjunto de conhecimentos possível de ser assimilado pelos seres elétricos e magnéticos para repasse aos animais Racionais, através do pensamento e da imaginação.
Daí já se concluir que esses conhecimentos artificiais não poderiam corresponder à VERDADE das verdades, já que a VERDADE é uma só, somente assimilável quando a vibração de quem a recebe é a mesma.
Só mesmo o Verdadeiro Deus, o RACIONAL SUPERIOR, para transmitir uma cultura assimilável por dois pólos distintos: elétrico e magnético.
E assim foi transmitida a cultura artificial filosófica e científica, apenas transmitida, para ser elaborada e criada pelos componentes do campo primário invisível material, o ASTRAL INFERIOR, já que a cultura artificial, a cultura primária, se destinava ao desenvolvimento do pensamento e da imaginação, as duas máquinas primárias de nossas cabeças, elétrica e magnética.
Essas máquinas, pensamento e imaginação, que se encontram à direita e à esquerda do nosso cérebro, e que constituem nossa mente inferior, representam a direita e a esquerda do ASTRAL INFERIOR, que criou, como dissemos, a cultura artificial, através de suas ferramentas que são todos os animais Racionais.
Portanto, foi uma cultura transmitida por DEUS, o RACIONAL SUPERIOR, condizente com o limite de condição da função das energias elétrica e magnética no ASTRAL INFERIOR.
E assim por essa cultura artificial se destinar ao desenvolvimento das máquinas do pensamento e da imaginação, para lapidação dos animais Racionais, não poderia ser a expressão da Verdade das verdades, porque os animais Racionais embrutecidos, teriam que ser lapidados energeticamente, para poderem estar preparados para receber a VERDADE.
E, assim, os seres variantes invisíveis, elétricos e magnéticos ficaram com a missão de elaborar e implantar essa cultura que lhe foi transmitida, utilizando para isso como ferramentas, os animais Racionais.
Lembramos, novamente, que sendo variantes os Habitantes do ASTRAL INFERIOR, bi polarizados, elétricos e magnéticos, não tinham condições energéticas de receber uma cultura de um pólo só.
Para que eles desenvolvessem uma cultura nos animais Racionais, essa cultura teria que ser condizente com a situação de vibração desses seres, onde existe o bem aparente e o mal, o positivo e o negativo, a direita e a esquerda, o elétrico e o magnético, o menos e o mais.
Se não fossem conhecimentos que respeitassem e atendessem essa condição variante, esses seres invisíveis elétricos e magnéticos, não teriam tido condições de captar a transmissão divina do RACIONAL SUPERIOR.
Para ver que o estrago, a desordem que fizemos com nossa saída do MUNDO RACIONAL foi tão hedionda, tão monstruosa, que o conserto de tudo isso teve que ser feito ao longo de muitas eternidades, nos preparando primeiro, através dos seres invisíveis elétricos e magnéticos, em duas grandes fases.
Tendo sido a primeira, a fase da imaginação, didaticamente chamada 1º milênio (que engloba 7 eternidades), onde a energia magnética teve um grandioso e árduo trabalho de ir implantando em nossas máquinas da imaginação as imagens de tudo que deveria ser criado, como base para o início da segunda.
E que essa segunda fase, chamada 2º milênio (que engloba outras 7 eternidades) onde a energia elétrica foi desenvolvendo e constituindo em ação, tudo que estava implantado em nossas máquinas da imaginação.
Foi aí se dando o desenvolvimento da máquina do pensamento em nossas cabeças.
Muitas eternidades se passaram até que, juntos, os comandos invisíveis elétricos e magnéticos do ASTRAL INFERIOR e do ASTRAL TÉRREO, chegaram ao final do seu trabalho de edificação da cultura artificial, a cultura primária, filosófica e científica, feita para lapidação dos animais Racionais, de forma a prepará-los para a vinda de uma cultura superior e definitiva, para desenvolvimento da mente superior.
A missão desses seres invisíveis cumprida, eles precisam retornar à sua origem, que eles são seres originados da água e da terra (muito ainda aqui a esclarecer, mas o assunto é longo).
Aqueles que se evoluíram no cumprimento dessa árdua missão de lapidação, foram iluminados passando a continuar sua missão junto ao ASTRAL SUPERIOR na Fase Racional, na recuperação dos animais Racionais.
Os que não se iluminaram, retornam à água e terra e, por isso, desde 1935, estão em processo de enfraquecimento, por não estarem sendo mais alimentados pela natureza, transmitindo esse enfraquecimento para o pensamento dos pensadores.
Sim, porque em 1935 o Verdadeiro DEUS, o RACIONAL SUPERIOR, veio finalmente transmitir a cultura definitiva, superior, a Verdade das verdades, anunciada há muito por sábios, profetas e astrólogos para o povo da Terra.
Essa transmissão foi feita aos Habitantes do ASTRAL SUPERIOR, seres puros e limpos, que saíram do MUNDO RACIONAL conosco, mas que, antes que suas virtudes se perdessem, paralisaram o progresso que iniciamos na PLANÍCIE RACIONAL, passando eles a constituir o ASTRAL SUPERIOR, onde não existe o mal, um campo muito acima do sol, acima do eletromagnetismo, e abaixo do MUNDO RACIONAL, constituindo a Energia Mediadora Consciente, do pensamento natural.
O RACIONAL SUPERIOR pode transmitir a VERDADE das verdades a eles, por eles pertencerem a um só pólo energético, não-variante, puro e limpo, onde todos são um só, apenas lhes faltando a perfeição.
E estando nessa condição, absolutamente aptos a construir na Terra a CULTURA RACIONAL, a cultura do desenvolvimento do raciocínio, por a humanidade agora já estar preparada para isso, por estar com o pensamento desenvolvido e em condições de assimilar tamanha grandeza: a VERDADE das verdades.
Para verem a trabalheira que nós temos dado ao nosso PAI ETERNO, o RACIONAL SUPERIOR.
E a nossa rudez, abuso e atraso já foram tão piores do que os de hoje, que chegamos, no passado, a alterar a escrituração sagrada pertinente ao curso primário, que, na época, era uma única escrituração que, com as adulterações deu origem a mais de mil escriturações nos dias de hoje, todas diferentes uma das outras.
Adulterações feitas pelo uso do livre arbítrio, de acordo com as idéias, os gostos e as vontades dos responsáveis pelas adulterações. Fora os erros cometidos por uma falta maior de capacidade para traduzir o grego, o latim e o hebraico, que eram os idiomas da época.
Essa a razão da escrituração sagrada original não ter dado os efeitos que deveria ter dado, devidos as adulterações.
E assim, sendo toda a cultura artificial baseada nessa escrituração, também essa cultura artificial foi desvirtuada daquilo do que deveria fazer, ou seja, construir a real civilização do animal Racional e que esse objetivo não foi alcançado, fazendo com que a selvageria e as monstruosidades do passado chegassem até os nossos dias, fazendo do mundo uma casa de loucos.
Essas adulterações aqui referidas, constituíram mais uma grande dívida da humanidade para com o SER SUPREMO, além de gerar muitas confusões relativas à sua personalidade, surgindo milhares de deuses, uns já esquecidos, outros ainda admitidos, gerando muitas guerras religiosas e muitas mortes e sacrifício de pessoas.
Está aí, mais uma vez, o porquê da nossa insistência para que todos estudem CULTURA RACIONAL, pois, somente com esse estudo irão compreender, que a causa de todos os desequilíbrios do mundo em que vivemos é mesmo culpa dos nossos gostos e das nossas vontades sem limites, através dos quais os marginais do espaço procuram nos desvirtuar do bem para o mal, para aumentar nossa lapidação e sofrimento.
As adulterações a que nos referimos aqui foram todas intuídas por esses elementos, e que estão presentes em forma de energia onde quer que essas adulterações tenham sido feitas. Tudo isso para nossa lapidação. É a missão deles.
Façam uma pesquisa, comparando as milhares de escriturações sagradas existentes e comprovarão o que estamos dizendo.
A palavra de DEUS não poderia ter sido adulterada, mesmo em se tratando do curso primário. Essa mais uma grande dívida da humanidade para com o SER SUPREMO.
Agora, DEUS transmitiu a CULTURA RACIONAL, a continuação de todas as escriturações e de tudo existente, dando ao ASTRAL SUPERIOR a missão de implantar essa cultura superior na Terra.
Essa é a nossa última oportunidade de mostrar ao nosso PAI ETERNO que já aprendemos a lição, de que a ELE devemos obediência irrestrita, porque a VERDADE não se discute, apenas pratica-se.
Acho que temos deixado bem claro aqui no “A VERDADEIRA ORIGEM DA HUMANIDADE!”, através da inúmeras postagens desde 2007, que a CULTURA RACIONAL jamais poderia ser contra alguém ou contra alguma coisa, porque tudo que existiu e que ainda existe, apesar de ter sido adulterado, foi originalmente transmitido por UM só, DEUS, o RACIONAL SUPERIOR.
Tudo foi transmitido originalmente por DEUS. As distorções e adulterações foram causadas pelo mal uso do livre arbítrio, em conseqüência da falta de limite nos gostos e nas vontades, desvirtuando os animais Racionais do bem para o mal e tornando-os máquinas de um progresso ludibriador, que tem levado tudo e todos a progresso destruidor da vida e da natureza.
Mas, DEUS é amor eterno.
E aí está o perdão de todas essas torpezas, de todos esses abusos, de todas essas adulterações.
E que esse perdão consiste em cada qual procurar estudar a continuação de todas as escriturações sagradas, frutos de adulterações.
E que essa continuação corrige todas as distorções feitas e acrescenta pontos inexistentes na escrituração do curso primário, pontos que só agora o animal Racional está preparado para assimilar e absorver.
E que essa continuação de tudo e de todas as culturas, se encontra na escrituração Universo em Desencanto, de CULTURA RACIONAL, o curso superior, que deverá ser adotado, indistintamente por todas as instituições, para que todos aprendamos a raciocinar, ou seja, se guiar, sem distorções, pela VERDADE das verdades que é DEUS, o RACIOCÍNIO SUPERIOR A TODOS OS RACIOCÍNIOS e a ENERGIA SUPERIOR A TODAS AS ENERGIAS, o RACIONAL SUPERIOR.
http://www.culturaracional.com.br
http://www.encontroracional.com.br

Read Full Post »


Minha gente!
Quanto temos falado sobre o desenvolvimento do raciocínio!
Quanto temos recomendado a todos o desenvolvimento do raciocínio!
E somos muitos, não poucos, pelo mundo inteiro, alertando à humanidade para esta nova fase da Natureza, em que todos que se ligam a ela encontram a tranqüilidade de um viver sem barreiras. Um caminhar dentro de uma consciência positiva e, por assim ser, um caminhar natural, calmo, benfazejo e libertador dos grilhões da matéria.
A matéria é um mal. Mas, um mal necessário até que se complete nossa verdadeira compreensão RACIONAL da vida.
Mas, apesar de nossos persistentes e pacientes esforços para dar a todos o entendimento da grandiosidade dessa gloriosa Fase Racional (do desenvolvimento do raciocínio), olhem bem para o mundo como está: a humanidade ainda desunida e caminhando como cabras cegas, sem saber o que está fazendo, sem saber como pisa, por teimar em NÃO SE CONHECER.
Chegamos, assim, à conclusão, que não temos sabido esclarecer a contento, apesar dos nossos desprendidos esforços nesse sentido, divulgando dia e noite e noite e dia os Livros da Mãe Natureza para o SE CONHECER pelo desenvolvimento do raciocínio.
Divulgação que não tem dia nem hora, nem sol, nem chuva, nem tempo, nem distância e, muito menos, sem nos importar com as despesas para essa divulgação.
Como sensibilizar nossos irmãos semelhantes para a seriedade e urgência do SE CONHECER?
Vamos procurar aqui e agora mostrar-lhes como é imprescindível passar a SE CONHECER, para que a própria Natureza se equilibre e não tenha mais necessidade de nos lapidar.
Lapidar é fazer sofrer, até reconhecer que não podemos remar contra as correntezas, ou seja, não podemos caminhar em desarmonia com as leis naturais que regem todo o universo em que vivemos.
Olha, minha gente, pode uma pessoa passar temporada, longa ou não, na casa de alguém sem respeitar a casa desse alguém?
Para responder a essa pergunta, coloque-se no papel de anfitrião que está hospedando um semelhante seu.
Bem, naturalmente sua casa tem as normas e os costumes que você determinou para o bom andamento de sua família e a conseqüente harmonia do seu lar.
Pois é, agora calcule como você se sentirá se esse hóspede, que você recebeu com todo respeito e carinho, começar a mudar tudo em sua casa, sem lhe consultar e, mais, começar a dirigir e comandar a sua casa e sua família como se fosse o dono delas.
Você vai gostar?
Claro que não, porque tudo vai se desandar!
Desandar, sim, pois esse hóspede não sabe o porquê das normas e costumes de sua casa que, com muita luta, esforço e paciência, você conseguiu implantar junto aos seus para harmonia da família e bom andamento da organização da sua casa.
Portanto, ante o desrespeito do hóspede, que desconhece as leis que implantou em sua casa, num esforço em prol da sua família, então, ante esse desrespeito, sua pessoa não vai ficar nada satisfeito ou satisfeita e vai começar a desejar que aquele hóspede retorne para de onde veio.
E se esse hóspede é muito abusado, sem desconfiômetro, com certeza você começará a fazer de tudo para que a estadia do hóspede deixe de ser uma estadia agradável, até que esse hóspede se conscientize de seus abusos, respeite as normas familiares que você determinou para sua casa e conclua que o melhor é ele retornar para de onde ele veio.
Bem, minha gente, assim somos nós neste mundo em que vivemos: somos hóspedes.
Mas,  uns hóspedes muito inconscientes, abusados, por nos acharmos donos deste mundo onde estamos há muitos milhões de milênios, sem conhecimento algum das leis naturais deste mundo, que já encontramos pronto! Achando sempre que tudo é nosso, até as pessoas, por vivermos completamente desconhecidos de nós mesmos e da Natureza que nos gera, cria, mantém e governa.
Vivemos, assim, uma vida de bichos, ambicionando tudo de material, por grande obscuridade do espírito.
A matéria é um ser e um estado provisório, sendo que o nosso ser verdadeiro não é material, nem provisório: é eterno!
Portanto, não somos daqui deste mundo material. Estamos aqui de passagem, razão porque daqui nada, nem ninguém levaremos conosco.
Enquanto não nos conscientizarmos disso, essa grandiosa anfitriã, a Mãe Natureza, dona de tudo e de todos, vai tornar nossa vida cada dia mais difícil, cheia de sofrimentos, lágrimas e dores, até que acordemos deste sono de pedra, deste sono material.
A Natureza, essa bondosa anfitriã, que vem nos aturando há milhões de milênios, está muito cansada de nos dar sempre tudo de graça e somente receber a grosseria e a ingratidão de nós, seus hóspedes, bem como o hediondo e milenar desrespeito às suas leis naturais, vivendo nós como verdadeiros parasitas dela.
E, por isso, cansada de assistir tanta inconsciência, a Natureza trouxe para nós o conhecimento dessas leis, que congregam a cultura natural dela, a Cultura Racional, que é completamente diferente dessa cultura artificial que criamos pela nossa vontade de querer fazer melhor e mais do que a Dona de todas as vidas, a Natureza.
Essa magnânima anfitriã, de tão bondosa que é, fez todas as nossas vontades, respeitando nosso livre arbítrio, a ponto de atender nossos desejos absurdos de criar coisas contra ela própria, assim como os instrumentos bélicos e a bomba atômica.
E, assim, é que foi criada a cultura artificial, filosófica e científica, irradiada pelo pensamento e a imaginação, cujas conseqüências têm degenerado, têm deformado e têm poluído toda a Natureza, inclusive nós.
Cansada, sim, muito cansada a Natureza está. E a prova desse cansaço é ela ter mudado de fase, da fase do pensamento, onde alimentava nossos desejos,  ambições, sonhos,  ilusões e fantasias, mudando para a Fase Racional, onde ela, através do desenvolvimento do raciocínio, nos ensina, pela derradeira vez, suas leis naturais, desvendando todos os mistérios, fenômenos, finitos e transfinitos e ainda nos revelando nossa e sua verdadeira origem.
E o que isso significa para a humanidade?
Significa o fim da classe do animal Racional e o início da evolução humana para a classe de Racional, deletando essa parte animal embrutecida, grosseira, atrasada, que, por viver desconhecida de si mesma, nunca respeitou as leis naturais da casa em que está de passagem, que é este mundo material.
Então, minha gente, essa mudança de fase da Natureza é o BASTA  dela aos abusos do animal Racional, dando uma decisão em todos nós: “RACIOCINE! PARE DE PENSAR, SENÃO LIQUIDO VOCÊ!”
E nesse cansaço milenar a Natureza já não suporta mais os abusos; ainda mais quando já nos deu a solução do nosso desequilíbrio pelo desenvolvimento do raciocínio na CULTURA RACIONAL – e vê a grande maioria sem interesse algum pelo presente que nos deu e sem ao  menos curiosidade de averiguar de que se trata.
Essa a razão dessa situação tenebrosa no mundo inteiro, de tantas hecatombes, monstruosidades e destruições pavorosas: a Natureza cansada, está liquidando todos aqueles que não querem SE CONHECER, nem conhecer as leis naturais da Natureza.
Situação essa que vai crescer assustadoramente, enquanto todos não passarem a SE CONHECER pelo desenvolvimento do raciocínio.
Livre dela, dessa situação horrorosa, apenas estarão os corações humildes que acataram e estão acatando as recomendações e advertências dessa paciente e bondosa anfitriã, que é a Natureza, que desde 1935 está a nos dizer:
“Quem és tu, que a ilusão é tanta, incapaz de definir o teu eu?!”
“Raciocine, porque a fase do pensamento terminou e o pensador perdeu o direito de viver.”
“Leia e releia os Livros de Cultura Racional Universo em Desencanto, a cultura natural da Natureza, para não descer para as classes inferiores do animal irracional, porque a Natureza é de transformações.
Raciocinando se transforma para cima e retorna à sua verdadeira origem, no seu verdadeiro estado natural de energia pura, limpa e perfeita.
Pensando se transforma para baixo, continua na matéria como bicho irracional, porque na Natureza nada se perde, nada se cria, tudo se transforma de uma vida para outra e de uma forma para outra, porque a Natureza é de transformações!”
Acorda, minha gente, que ainda há tempo de SE CONHECER!

Read Full Post »

 

supermolduras2009092701k

Se nos detivermos à pesquisa sobre o significado de família, qualquer que seja a fonte, vamos encontrar uma infinidade tão grande de conceitos e definições, que encontraremos dificuldade de sintetizá-la numa pequena frase.
Isso se justifica pela diversidade de opiniões que cada qual tem a respeito não só da família, como a respeito das demais coisas.
É… somos todos diferentes.
Diferentes, sim, enquanto tivermos como base de referência os valores aparentes que cada um de nós acumulou, pelas experiências, de gerações a gerações.
E podemos confiar nas experiências?
Ora, quem é levado a experimentar, prova, com esse comportamento, que não tem o saber verdadeiro.
A falta do saber verdadeiro é que tem levado a humanidade a buscar, nas experiências, uma forma acertada de existência.
E assim vivemos por milhões de anos: buscando, pesquisando, experimentando sem base e sem lógica e repassando essas experiências. E, por isso, acertando e desacertando, desacertando muito mais que acertando.
Tudo isso sendo orientados pelo pensamento e a imaginação. Pensando e imaginando ser o que não é: e adotando. Criada, assim, foi a cultura que toda a humanidade conhece e adota para sobreviver. Uma cultura artificial.
E, por assim ser, fruto do pensamento e da imaginação, não conseguimos atingir, com essa cultura artificial, a forma real da existência – existindo sem saber por que existimos. Vivendo, sem saber por que vivemos.
Cada qual vivendo como acha que deva de viver.
Daí, a confusão crescente, em progressão tão assustadora, que tem levado todas as instituições à desagregação.
Pois, onde cada um pensa diferente, os objetivos também são diferentes. E onde os objetivos são diferentes, ninguém chega à conclusão do seu ideal, por sermos seres absolutamente dependentes de tudo e de todos.
E então, ninguém chega à conclusão de coisa alguma, caminhando cada um sozinho, sem ter com quem contar para alcançar seu objetivo e não colaborando com ninguém para que esse alguém também alcance o seu objetivo, diferente de todos os demais.
Resumindo: bilhões de pessoas, cada qual caminhando sozinho para um objetivo só seu, fruto da sua imaginação, objetivo esse fruto de suas experiências pessoais sem base e sem lógica.
Assim caminhando, onde cada qual vai chegar? Simplesmente não vai chegar, porque todos precisam de tudo e de todos para alcançar qualquer objetivo.
É aí que passamos a entender melhor a desagregação pela qual estão passando todas as instituições, mas, principalmente, a instituição familiar, nascedouro de todas as demais. Essas desagregações desequilibram todos e, inclusive, a natureza, que é quem acolhe tudo e todos. Nossa mãe natural.
Entendamos melhor isso. Se nossos filhos estão desequilibrados, de alguma forma nós nos desequilibramos também. E para que as coisas se harmonizem no lar, quanta providência é preciso, quanta luta, quantos puxões de orelha, quantas repreensões, quantos castigos são necessários para que nossos filhos retornem ao equilíbrio!
Pois é, nessa nova fase do Terceiro Milênio por que passa o mundo em que vivemos, com tanta tragédia, tanto desequilíbrio e tanto sofrimento, está acontecendo neste mundo o mesmo que acontece dentro de cada lar constituído por nós seres humanos.
O mundo em que vivemos é o nosso lar, provisório, mas, é. Nossa mãe natural é a Natureza. E nós seus filhos desequilibrados.
Essa mãe, a Natureza, é a mãe natural, porque nos adotou como filhos. E filho adotivo dá trabalho dobrado, por ter natureza diferente da natureza de sua mãe.
E porque somos filhos adotivos? Porque estamos separados da nossa família verdadeira, o que nos torna inconformados e insatisfeitos, por ter que viver de acordo com uma natureza da qual nosso EU verdadeiro não faz parte.
Nossa parte aparente, bruta, material, pertence à Natureza que nos gerou, criou, mantém e governa. Mas, nosso EU verdadeiro, interior, não pertence a ela.
Ficar longe da família verdadeira dá é nisso: desequilíbrio de um modo geral, porque uma pessoa insatisfeita, nunca está equilibrada.
Para ver, como é fundamental em nossas vidas conhecer de onde viemos, como viemos, para onde vamos e como vamos, enfim, conhecer nossa família verdadeira, nossa origem verdadeira.
Enquanto cada qual não procurar se cientificar disso, todos continuaremos desequilibrados, entrando em atrito uns com os outros, os atritos gerando conflitos, esses conflitos gerando o terror, o terror gerando as guerras e as guerras gerando a mortandade. E é o que estamos assistindo em nosso cotidiano.
É vital SE CONHECER, vital para toda a humanidade e para a Natureza.
Nós bem que tentamos constituir uma família. Mas, orientados e governados por uma Natureza que não é a nossa natureza verdadeira, que não corresponde ao nosso verdadeiro SER, não poderíamos mesmo ser bem sucedidos.
Por quê?
Porque nossa mãe natural, a Natureza, a quem devemos tudo e a quem devemos ser gratos por tudo que nos tem dado, é uma natureza bi polarizada, uma natureza dual, sendo que o nosso SER VERDADEIRO tem pólo único e divergente dos dois pólos em que ela está constituída.
Nossa mãe natural é elétrica e magnética. E o nosso SER verdadeiro é RACIONAL.
Nossa mãe natural tem uma origem. E nós temos outra.
E quando todos passarem a se conhecer, dar-se-ão conta que, na verdade, nossa mãe natural, a Natureza, veio do mesmo mundo ao qual pertencemos, mas, que constituía uma parte que ainda não estava na mesma evolução que mantínhamos em nossa originalidade.
E assim sendo, ela, a mãe Natureza, na verdade, é nossa irmã e que nos tem criado como filhos. Daí o porquê da sua, também, insatisfação, por estar fora do seu natural.
Assim, o conceito de família precisa ser revisto. Família é aquela que ainda estamos sendo preparados para constituir, quando todos passarem a SE CONHECER, sabendo de onde viemos, como viemos, para onde vamos e como vamos, tendo todos UM SÓ OBJETIVO: o retorno ao nosso verdadeiro mundo de origem.
A nossa Mãe natural, a Natureza, que na verdade é nossa irmã, já tem conhecimento disso tudo: de onde veio, como veio, para onde vai e como vai. Mas, não pode retornar à Casa Paterna, porque está impedida de fazê-lo devido às responsabilidades de gerar, criar, manter e governar essa filharada imensa que adotou, que é toda a humanidade.
E, por isso, está transmitindo a todos nós o que passou a conhecer, para que também passemos a NOS CONHECER.
Passando a NOS CONHECER, teremos condições de nos ligar, em vida, à nossa origem verdadeira, a Casa Paterna, ficando por conta do nosso verdadeiro mundo, o MUNDO RACIONAL, e liberando nossa Mãe/Irmã de nossa quase eterna adoção, para que ela retorne também ao mundo de onde viemos.
E assim fazendo, reconstituiremos ambos, Mãe Natureza e nós, finalmente, a família perfeita que sempre fomos, antes de ser o que somos, jubilosamente governados, por nosso Pai Verdadeiro, o RACIONAL SUPERIOR.
E quem não quiser dar ouvidos ao que nossa Mãe natural está transmitindo, vai ficar de castigo, por sete eternidades, nas classes inferiores de animal irracional, porque a Natureza é de transformações.
As provas e comprovações, detalhadas e minuciosas de tudo isso, todos nós encontramos na cultura natural da Natureza, a CULTURA RACIONAL, dos Livros Universo em Desencanto.
Portanto, família, é uma só, RACIONAL.
Por quê?
A resposta é encontrada no estudo desses grandiosos Livros de CULTURA RACIONAL, Universo em Desencanto.
Colaboremos com a família, com a nossa família verdadeira, a família RACIONAL, nos inteirando e nos certificando de tudo isso que aqui foi dito.
Não viremos as costas para o nosso Pai Verdadeiro, o RACIONAL SUPERIOR, nem fechemos nossos ouvidos para nossa Mãe/Irmã Natureza, ela já sofreu demais com nossa adoção.
Estudemos UNIVERSO EM DESENCANTO!
RACIOCINEMOS!
Só assim voltaremos a ser o que sempre fomos e que sintetiza o que é família: RACIONAL!
http://www.universoemdesencanto.com.br
http://www.webradio.universoemdesencanto.com.br
http://www.programaavozracional.com.br
http://www.boanoitebrasilracional.blogspot.com
http://www.encontroracional.com.br

Read Full Post »